Praga de gafanhotos está controlada

  • Huíla: Praga de gafanhotos
Lubango - A praga de gafanhotos, que afectou a província da Huíla, está totalmente controlada, mas as autoridades mantêm-se em alerta para dar resposta a um eventual retorno.

A informação foi prestada hoje à ANGOP, por José Arão Tchissonde, director do gabinete provincial da Agricultura, afirmando que os insectos passaram por 15 localidades do município da Humpata, onde se deu o primeiro caso, na zona do Miradouro da Leba.

Atravessou igualmente, em pequenas proporções, os municípios do Lubango e da Chibia, sem prejuízo para as culturas em todos, devido a pulverização preventiva aplicada as áreas cultivadas e outras técnicas rudimentares usadas pelo camponeses, como queimadas controladas.

Dada a perigosidade do insecticida utilizado, o director aconselhou a população a evitar o consumo da vegetação afectada pela pulverização, durante pelo menos 21 dias, período que dura o efeito do produto.

Apelou igualmente que esse cuidado deve ser extensivo com os animais, evitando que eles consumam a mesma vegetação.

A praga de gafanhotos entrou em Angola pela província do Cuando Cubango e atingiu as do Cunene, Namibe, Huíla e Benguela.

A informação foi prestada hoje à ANGOP, por José Arão Tchissonde, director do gabinete provincial da Agricultura, afirmando que os insectos passaram por 15 localidades do município da Humpata, onde se deu o primeiro caso, na zona do Miradouro da Leba.

Atravessou igualmente, em pequenas proporções, os municípios do Lubango e da Chibia, sem prejuízo para as culturas em todos, devido a pulverização preventiva aplicada as áreas cultivadas e outras técnicas rudimentares usadas pelo camponeses, como queimadas controladas.

Dada a perigosidade do insecticida utilizado, o director aconselhou a população a evitar o consumo da vegetação afectada pela pulverização, durante pelo menos 21 dias, período que dura o efeito do produto.

Apelou igualmente que esse cuidado deve ser extensivo com os animais, evitando que eles consumam a mesma vegetação.

A praga de gafanhotos entrou em Angola pela província do Cuando Cubango e atingiu as do Cunene, Namibe, Huíla e Benguela.