Venda de produtos do campo rende 329 milhões de Kwanzas

Cuito – Trezentos e vinte e nove milhões de Kwanzas é o montante obtido na venda de produtos do campo, através da realização de feiras de milho e batata, no decurso deste ano nos nove municípios da província do Bié.

A informação foi prestada hoje pelo director do gabinete provincial do desenvolvimento económico integrado, Israel Chissingui Elavoco, quando falava do Agro-Negócio realizado nas referidas feiras.

Israel Chissingui Elavoco sublinhou que, em relação à edição de 2020, houve um aumento de mais AKZ.100 milhões, devido ao incremento de expositores, bem como da quantidade de produtos.

Afirmou que a nível de todos os municípios foram realizadas 11 feiras, que contou com a participação de cerca de 300 expositores, mais 100 em relação à edição passada.

Incentivou os camponeses a aumentarem a produção agrícola, de modo a contribuírem para a diversificação da economia e diminuir as importações de bens alimentares.

Garantiu que o Executivo angolano está a trabalhar para que o comércio rural seja efectivado na sua plenitude, com a criação de lojas do campo, que possam comprar toda produção local e levar outros serviços nas aldeias, comunas e ombalas, com vista a oferecer uma vida melhor às populações.

Reafirmou o compromisso do seu sector no engajamento da produção local, visando dar resposta ao problema da fome e da pobreza, proporcionando segurança alimentar necessária para a população.

A informação foi prestada hoje pelo director do gabinete provincial do desenvolvimento económico integrado, Israel Chissingui Elavoco, quando falava do Agro-Negócio realizado nas referidas feiras.

Israel Chissingui Elavoco sublinhou que, em relação à edição de 2020, houve um aumento de mais AKZ.100 milhões, devido ao incremento de expositores, bem como da quantidade de produtos.

Afirmou que a nível de todos os municípios foram realizadas 11 feiras, que contou com a participação de cerca de 300 expositores, mais 100 em relação à edição passada.

Incentivou os camponeses a aumentarem a produção agrícola, de modo a contribuírem para a diversificação da economia e diminuir as importações de bens alimentares.

Garantiu que o Executivo angolano está a trabalhar para que o comércio rural seja efectivado na sua plenitude, com a criação de lojas do campo, que possam comprar toda produção local e levar outros serviços nas aldeias, comunas e ombalas, com vista a oferecer uma vida melhor às populações.

Reafirmou o compromisso do seu sector no engajamento da produção local, visando dar resposta ao problema da fome e da pobreza, proporcionando segurança alimentar necessária para a população.