Angola reafirma compromisso com clima e biodiversidade

  • Ministra da cultura turismo e ambiente e o embaixador da UE, constatam situação dos mangais
Luanda – Angola reafirmou, terça-feira, em Nairobi (Quénia), o seu engajamento em proteger, preservar e conservar o ecossistema, afectado actualmente por alterações climáticas, perda da biodiversidade e poluição.

Essa determinação foi manifestada pelo representante permanente de Angola junto dos escritórios da Organização das Nações Unidas, em Nairobi, Sianga Abílio, durante a 5ª Assembleia do Programa da ONU para o Ambiente (UNEA-5), que decorreu entre 22 ea 23 deste mês.

Realizada em formato de videoconferência, o evento contemplou um diálogo de liderança de Alto Nível, sobre o tema “Contribuições da dimensão ambiental do desenvolvimento sustentável para construção resiliente e inclusiva de um mundo pós-Pandemia”.

Neste capítulo, os Estados Membros, cuja delegação angolana foi presidida pela ecretária de Estado para o Ambiente, Paula Coelho, tiveram a oportunidade de se pronunciar acerca do trabalho em curso e/ou realizado para mitigar o efeito da crise da pandemia da Covid-19.

A 5ª Assembleia das Nações Unidas para o Ambiente, que decorreu sob o lema “Fortalecer as Acções para a Natureza para o Alcance dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”, aprovou um orçamento, para o biénio 2022-2023, no valor de USD 200 milhões para a cobertura do  funcionamento do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (UNEP).

Os representantes dos governos e da sociedade civil presentes nesse fórum reconheceram e elogiaram a função exercida pelo UNEP, como coordenadora das acções internacionais de protecção do ambiente e promotora do desenvolvimento sustentável.

De igual modo, os Estados Membros concordaram em agendar para os dias 28 de Fevereiro e 01 e 02 de Março de 2022, a 2ª sessão da quinta Assembleia do UNEA-5, já num formato presencial, para permitir que sejam debatidas questões substanciais numa perspectiva negocial entre as partes interessadas, com vista a definição consensual das estratégias.

O Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, ao pronunciar-se na sessão de encerramento da mesma, procedeu ao lançamento das festividades que vão marcar os 50 anos de existência do UNEP.

Estas celebrações vão decorrer até Junho de 2022, com acto central em duas cidades, Nairobi, em África, e Estocolmo, Suécia, onde foi realizada a primeira reunião de Chefes de Estado, organizada pelas Nações Unidas, a 16 de Junho de 1972.

A Assembleia, considerada o maior palco mundial para o debate de questões ambientais, foi presidida pelo ministro norueguês do Ambiente, Sveinung Rotevatn, à partir de Oslo, nas vestes de Presidente da UNEA-5, tendo no pódio, em Nairobi, a sub-secretária-Geral da ONU e Directora Executiva do UNEP, Inger Andersen.

Participaram da mesma, delegações ministeriais de 151 Estados Membros das Nações Unidas, delegações de Organizações Não-Governamentais e demais parceiros do Programa das Nações Unidas para o Ambiente, num total de 12 mil pessoas de várias partes do mundo, conectadas à plataforma online do evento.

Essa determinação foi manifestada pelo representante permanente de Angola junto dos escritórios da Organização das Nações Unidas, em Nairobi, Sianga Abílio, durante a 5ª Assembleia do Programa da ONU para o Ambiente (UNEA-5), que decorreu entre 22 ea 23 deste mês.

Realizada em formato de videoconferência, o evento contemplou um diálogo de liderança de Alto Nível, sobre o tema “Contribuições da dimensão ambiental do desenvolvimento sustentável para construção resiliente e inclusiva de um mundo pós-Pandemia”.

Neste capítulo, os Estados Membros, cuja delegação angolana foi presidida pela ecretária de Estado para o Ambiente, Paula Coelho, tiveram a oportunidade de se pronunciar acerca do trabalho em curso e/ou realizado para mitigar o efeito da crise da pandemia da Covid-19.

A 5ª Assembleia das Nações Unidas para o Ambiente, que decorreu sob o lema “Fortalecer as Acções para a Natureza para o Alcance dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável”, aprovou um orçamento, para o biénio 2022-2023, no valor de USD 200 milhões para a cobertura do  funcionamento do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (UNEP).

Os representantes dos governos e da sociedade civil presentes nesse fórum reconheceram e elogiaram a função exercida pelo UNEP, como coordenadora das acções internacionais de protecção do ambiente e promotora do desenvolvimento sustentável.

De igual modo, os Estados Membros concordaram em agendar para os dias 28 de Fevereiro e 01 e 02 de Março de 2022, a 2ª sessão da quinta Assembleia do UNEA-5, já num formato presencial, para permitir que sejam debatidas questões substanciais numa perspectiva negocial entre as partes interessadas, com vista a definição consensual das estratégias.

O Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, ao pronunciar-se na sessão de encerramento da mesma, procedeu ao lançamento das festividades que vão marcar os 50 anos de existência do UNEP.

Estas celebrações vão decorrer até Junho de 2022, com acto central em duas cidades, Nairobi, em África, e Estocolmo, Suécia, onde foi realizada a primeira reunião de Chefes de Estado, organizada pelas Nações Unidas, a 16 de Junho de 1972.

A Assembleia, considerada o maior palco mundial para o debate de questões ambientais, foi presidida pelo ministro norueguês do Ambiente, Sveinung Rotevatn, à partir de Oslo, nas vestes de Presidente da UNEA-5, tendo no pódio, em Nairobi, a sub-secretária-Geral da ONU e Directora Executiva do UNEP, Inger Andersen.

Participaram da mesma, delegações ministeriais de 151 Estados Membros das Nações Unidas, delegações de Organizações Não-Governamentais e demais parceiros do Programa das Nações Unidas para o Ambiente, num total de 12 mil pessoas de várias partes do mundo, conectadas à plataforma online do evento.