Baleia encontrada morta na Restinga

  • BALEIA ENCALHADA NA PRAIA DAS MIRAGENS, MUNICÍPIO DE MOÇAMEDE
Lobito- Uma baleia encontrada morta e em avançado estado de putrefacção na zona costeira da Restinga, Lobito, foi removida nesta quarta-feira pela administração local.

O mamífero foi enterrado numa lixeira a céu aberto, localizada a cinco quilómetros da cidade portuária do Lobito.

A baleia, de mais de 10 metros de comprimento, foi encontrada morta na noite da passada segunda-feira e apresentava sinais de maus tratos, já que apareceu com várias perfurações no corpo.

De acordo com a fundadora do projecto ambiental Cambeu, Luz Le Corre, que se dedica a protecção de tartarugas marinhas e do meio ambiente, trata-se de uma baleia jovem da espécie jubarte ou corcunda e aparentava ter cinco anos de idade.

“A ingestão de lixo também pode ser uma das causas da morte, pelo facto do estômago ter saído pela boca”, admitiu.

Segundo a responsável, essa espécie, proveniente da África do Sul, reproduz-se entre os meses de Julho e Novembro nas praias angolanas e estava na fase de regresso.

Já o agente da segurança marítima da Capitania do Porto do Lobito, Paulo da Silva, disse à Angop que alguns populares viram a baleia a flutuar na costa por volta das 19 horas desta segunda-feira, já morta e encalhada.

 

O mamífero foi enterrado numa lixeira a céu aberto, localizada a cinco quilómetros da cidade portuária do Lobito.

A baleia, de mais de 10 metros de comprimento, foi encontrada morta na noite da passada segunda-feira e apresentava sinais de maus tratos, já que apareceu com várias perfurações no corpo.

De acordo com a fundadora do projecto ambiental Cambeu, Luz Le Corre, que se dedica a protecção de tartarugas marinhas e do meio ambiente, trata-se de uma baleia jovem da espécie jubarte ou corcunda e aparentava ter cinco anos de idade.

“A ingestão de lixo também pode ser uma das causas da morte, pelo facto do estômago ter saído pela boca”, admitiu.

Segundo a responsável, essa espécie, proveniente da África do Sul, reproduz-se entre os meses de Julho e Novembro nas praias angolanas e estava na fase de regresso.

Já o agente da segurança marítima da Capitania do Porto do Lobito, Paulo da Silva, disse à Angop que alguns populares viram a baleia a flutuar na costa por volta das 19 horas desta segunda-feira, já morta e encalhada.