Ambiente advoga aumento de fiscais ambientais

  • Vice-governador do Cuando Cubango, Antas Miguel
Menongue - O director do Gabinete de Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários no Cuando Cubango, Júlio Bravo, defendeu, esta sexta-feira, a necessidade de mais de 400 novos fiscais ambientais para o combate à caça furtiva.

O responsável, que falava no acto antecipado do 5 de Junho, Dia Mundial do Ambiente, informou que o Cuando Cubango possui a maior área de conservação do país, com uma rica biodiversidade, mas é apenas assegurado por 135 fiscais ambientais, número insignificante para garantir a segurança da natureza.

Considerou importante que a população denuncie os indivíduos que praticam crimes, que põem em perigo o meio ambiental, com vista ao seu desencorajamento.

Na sua intervenção, o vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Afonso Antas Miguel, advogou a adopção de políticas públicas que promovam a conservação e restauração do equilíbrio da natureza, como a plantação de árvores, a conservação do estado de limpeza e higiene das localidades habitadas pelas pessoas, entre outras.

“A criação do Centro Kupolola, com o objectivo de investigar os recursos naturais e a vida selvagem, é uma opção que, em certa medida, vai promover o conhecimento mais profundo sobre a biodiversidade do Cuando Cubango e garantir a conexão com as diferentes instituições e organismos nacionais e estrangeiros de carácter técnico-científico e garantir a responsabilidade do conhecimento local neste processo”, enfatizou.

Exortou as administrações municipais e a população em geral para pensarem no ambiente de uma maneira mais abrangente, engajando-se e promovendo actividades relacionadas com a plantação de árvores, campanhas de limpeza nas zonas urbanas e periurbanas, eliminando os principais focos de resíduos.

Para o vice-governador, as palestras de sensibilização da sociedade e educação ambiental sobre o saneamento básico nas comunidades devem, também, ser o foco das administrações municipais, por formas a se melhorar a qualidade do ambiente, enquanto factor que influencia na vida das populações.

Para saudar a efeméride, o gabinete vai realizar várias actividades, como plantação de árvores, campanhas de limpeza nas zonas urbanas, palestras de sensibilização e educação ambiental sobre o saneamento básico nas comunidades, combate à caça furtiva e queimadas anárquicas.

O responsável, que falava no acto antecipado do 5 de Junho, Dia Mundial do Ambiente, informou que o Cuando Cubango possui a maior área de conservação do país, com uma rica biodiversidade, mas é apenas assegurado por 135 fiscais ambientais, número insignificante para garantir a segurança da natureza.

Considerou importante que a população denuncie os indivíduos que praticam crimes, que põem em perigo o meio ambiental, com vista ao seu desencorajamento.

Na sua intervenção, o vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Afonso Antas Miguel, advogou a adopção de políticas públicas que promovam a conservação e restauração do equilíbrio da natureza, como a plantação de árvores, a conservação do estado de limpeza e higiene das localidades habitadas pelas pessoas, entre outras.

“A criação do Centro Kupolola, com o objectivo de investigar os recursos naturais e a vida selvagem, é uma opção que, em certa medida, vai promover o conhecimento mais profundo sobre a biodiversidade do Cuando Cubango e garantir a conexão com as diferentes instituições e organismos nacionais e estrangeiros de carácter técnico-científico e garantir a responsabilidade do conhecimento local neste processo”, enfatizou.

Exortou as administrações municipais e a população em geral para pensarem no ambiente de uma maneira mais abrangente, engajando-se e promovendo actividades relacionadas com a plantação de árvores, campanhas de limpeza nas zonas urbanas e periurbanas, eliminando os principais focos de resíduos.

Para o vice-governador, as palestras de sensibilização da sociedade e educação ambiental sobre o saneamento básico nas comunidades devem, também, ser o foco das administrações municipais, por formas a se melhorar a qualidade do ambiente, enquanto factor que influencia na vida das populações.

Para saudar a efeméride, o gabinete vai realizar várias actividades, como plantação de árvores, campanhas de limpeza nas zonas urbanas, palestras de sensibilização e educação ambiental sobre o saneamento básico nas comunidades, combate à caça furtiva e queimadas anárquicas.