Juventude deve inovar na protecção do meio ambiente

  • Participantes do acto provincial do 14 de Abril  dia da juventude angolana
  • Vice Governadora para o Sector Político  Social e Económico, Maria João Chipalavela
Lubango - A juventude huilana precisa olhar mais para a dimensão ecológica da província, pensar na criação de formas inovadoras para substituir o abate de árvores e trazer o gás de outra forma.                

O desafio foi lançado hoje, quarta-feira, no Lubango, pela vice-governadora para o sector Político, Social e Económico da Huíla, Maria João Chipalavela,  durante o acto provincial do Dia da Juventude Angolana, que hoje se assinala.

Afirmou que ainda notam-se queimadas frequentes de árvores, como uma prática tradicional que não é a mais adequada, por isso, a juventude é chamada a contribuir para encontrar formas sustentáveis de produzir, sem arrasar a natureza.

No seu entender, os jovens devem focar-se na produção de viveiros como forma de promover a “economia verde”, necessária para qualquer sociedade.

“Precisamos olhar também para aquelas plantas que são medicinais e outras que podem ser comercializadas, uma prática que pode trazer pequenas e médias empresas”, asseverou.

Por sua vez, o secretário executivo do Conselho Provincial da Juventude da Huíla, Filipe Kameya, disse que o ambiente ecológico é uma preocupação visível da organização.

O desafio foi lançado hoje, quarta-feira, no Lubango, pela vice-governadora para o sector Político, Social e Económico da Huíla, Maria João Chipalavela,  durante o acto provincial do Dia da Juventude Angolana, que hoje se assinala.

Afirmou que ainda notam-se queimadas frequentes de árvores, como uma prática tradicional que não é a mais adequada, por isso, a juventude é chamada a contribuir para encontrar formas sustentáveis de produzir, sem arrasar a natureza.

No seu entender, os jovens devem focar-se na produção de viveiros como forma de promover a “economia verde”, necessária para qualquer sociedade.

“Precisamos olhar também para aquelas plantas que são medicinais e outras que podem ser comercializadas, uma prática que pode trazer pequenas e médias empresas”, asseverou.

Por sua vez, o secretário executivo do Conselho Provincial da Juventude da Huíla, Filipe Kameya, disse que o ambiente ecológico é uma preocupação visível da organização.