Especialista desaconselha químicos na fertilização dos solos

Malanje - A especialista angolana em gestão ambiental, Jacinta Peres, desaconselha o uso de produtos químicos para a fertilização dos solos destinados a fins agrícolas, devido a tendência de afectar as suas propriedades e consequentemente torna-los pouco produtivos.

Segundo a ambientalista, os fertilizantes industriais detém elementos que podem causar danos às terras aráveis, razão pela qual desencoraja o uso dos mesmos, substituindo-os pelos fertilizantes naturais.

Realçou que nos últimos tempos, os grandes agricultores e fazendeiros, tendem a usar mais os agrotóxicos ou fertilizantes industriais na agricultura, uma prática que considera de “imediatismo”, e que prejudica a terra e em alguns casos as culturas produzidas.

“O uso de fertilizantes industriais é um atentado à vida humana e ameaça ao ambiente. Também hoje temos algumas doenças cancerígenas que podem ser resultado de alguns alimentos produzidos com agrotóxicos”, frisou.

Acrescentou que os fertilizantes interferem muito na capacidade da regeneração do solo e são ainda capazes de contaminar as águas subterrâneas.

Por esse facto, de acordo com a fonte, o Gabinete Provincial do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, leva a cabo há mais de três meses, junto das grandes fazendas, campanhas de sensibilização para o uso de fertilizantes naturais.

Sem avançar pormenores, explicou que a campanha está surtir efeitos positivos, pelo que muitas fazendas pautam agora pelo uso de fertilizantes naturais.

Segundo a ambientalista, os fertilizantes industriais detém elementos que podem causar danos às terras aráveis, razão pela qual desencoraja o uso dos mesmos, substituindo-os pelos fertilizantes naturais.

Realçou que nos últimos tempos, os grandes agricultores e fazendeiros, tendem a usar mais os agrotóxicos ou fertilizantes industriais na agricultura, uma prática que considera de “imediatismo”, e que prejudica a terra e em alguns casos as culturas produzidas.

“O uso de fertilizantes industriais é um atentado à vida humana e ameaça ao ambiente. Também hoje temos algumas doenças cancerígenas que podem ser resultado de alguns alimentos produzidos com agrotóxicos”, frisou.

Acrescentou que os fertilizantes interferem muito na capacidade da regeneração do solo e são ainda capazes de contaminar as águas subterrâneas.

Por esse facto, de acordo com a fonte, o Gabinete Provincial do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, leva a cabo há mais de três meses, junto das grandes fazendas, campanhas de sensibilização para o uso de fertilizantes naturais.

Sem avançar pormenores, explicou que a campanha está surtir efeitos positivos, pelo que muitas fazendas pautam agora pelo uso de fertilizantes naturais.