Ministério e Agência lançam campanha de sensibilização do mês da reciclagem

  • Operadoras recolhem resíduos nas ruas de Luanda
Luanda – Uma campanha de sensibilização do mês da reciclagem foi lançada, nesta terça-feira, em Luanda, pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente em parceria com a Agência Nacional de Resíduos.

A campanha tem como objectivo sensibilizar as populações a separarem os resíduos em casa e evitarem deitar os resíduos de forma inadequada, bem como promover a interação com os administradores dos mercados para a instalação de ecopontos para separação de resíduos.

Para as famílias, vai gerar lucros, pois podem vender o lixo que produzem as empresas de reciclagem.

Na ocasião, a Presidente do Conselho de Administração da Agência Nacional de Resíduos, Nelma Caetano, fez saber que as actividade vai decorrer durante três meses e visa igualmente aumentar a consciência dos cidadãos a dar o devido tratamento aos resíduos produzidos.

“A produção do lixo em Angola tem aumentado, pois ele acompanha o crescimento da população e o desenvolvimento das cidades, bem como os níveis de consumo. Assim sendo é preciso maior responsabilidades para um serviço de recolha eficiente”, frisou.

Nelma Caetano considerou ser pertinente a necessidade de todos terem  uma postura diferente e ambiental, e contribuir não só para a redução, mas também para estimular as actividades praticadas pelos catadores de lixo.

Para a PCA,  a gestão de resíduos de Angola deve ser bem entendida, pelo que a Agência Nacional de Resíduos em parceria com a comunidade académica  pretende demonstrar, no decorrer da campanha, soluções tecnológicas e económicas vantajosas e deste modo tornar o seguimento da valorização de resíduos numa fonte de receitas.

Fez saber que o Executivo procedeu a abertura de uma linha de financiamento para projecto de valorização de resíduos, principalmente para aquelas entidades que pretendem recolha selectiva ou porta-a-porta.

Actualmente está a decorrer o concurso público internacional para gestão e requalificação do aterro sanitário dos Mulenvo, acções que visam incentivar as famílias a valorizar os resíduos.

Por outro lado, disse, que estão a preparar uma processo de simplificação dos licenciamentos para congregar maior número de empresas que se dedicam a valorização de resíduos, visando se reorganizarem e tornar a cadeia de reaproveitamento mais viável e eficiente.

Será igualmente realizada uma campanha de reciclagem, no âmbito do mesmo programa.

Sobre o lema “Para a onde vão os resíduos que produzimos, as actividades realizam-se no âmbito do dia mundial da reciclagem, que se celebra a 17 de Maio.

A campanha tem como objectivo sensibilizar as populações a separarem os resíduos em casa e evitarem deitar os resíduos de forma inadequada, bem como promover a interação com os administradores dos mercados para a instalação de ecopontos para separação de resíduos.

Para as famílias, vai gerar lucros, pois podem vender o lixo que produzem as empresas de reciclagem.

Na ocasião, a Presidente do Conselho de Administração da Agência Nacional de Resíduos, Nelma Caetano, fez saber que as actividade vai decorrer durante três meses e visa igualmente aumentar a consciência dos cidadãos a dar o devido tratamento aos resíduos produzidos.

“A produção do lixo em Angola tem aumentado, pois ele acompanha o crescimento da população e o desenvolvimento das cidades, bem como os níveis de consumo. Assim sendo é preciso maior responsabilidades para um serviço de recolha eficiente”, frisou.

Nelma Caetano considerou ser pertinente a necessidade de todos terem  uma postura diferente e ambiental, e contribuir não só para a redução, mas também para estimular as actividades praticadas pelos catadores de lixo.

Para a PCA,  a gestão de resíduos de Angola deve ser bem entendida, pelo que a Agência Nacional de Resíduos em parceria com a comunidade académica  pretende demonstrar, no decorrer da campanha, soluções tecnológicas e económicas vantajosas e deste modo tornar o seguimento da valorização de resíduos numa fonte de receitas.

Fez saber que o Executivo procedeu a abertura de uma linha de financiamento para projecto de valorização de resíduos, principalmente para aquelas entidades que pretendem recolha selectiva ou porta-a-porta.

Actualmente está a decorrer o concurso público internacional para gestão e requalificação do aterro sanitário dos Mulenvo, acções que visam incentivar as famílias a valorizar os resíduos.

Por outro lado, disse, que estão a preparar uma processo de simplificação dos licenciamentos para congregar maior número de empresas que se dedicam a valorização de resíduos, visando se reorganizarem e tornar a cadeia de reaproveitamento mais viável e eficiente.

Será igualmente realizada uma campanha de reciclagem, no âmbito do mesmo programa.

Sobre o lema “Para a onde vão os resíduos que produzimos, as actividades realizam-se no âmbito do dia mundial da reciclagem, que se celebra a 17 de Maio.