“Afrobasket`2021”: Angola" desperta e garante oitavos

  • Afrobasket2021: Jogo Angola - Cabo Verde (Arquivo)
Rwanda (Do enviado especial) - A Selecção Nacional transfigurou-se e venceu este sábado a República Democrática do Congo, por 73-58, no fecho da fase regular do Campeonato Africano sénior masculino de basquetebol “Afrobasket`2021”, que decorre em Kigali (Rwanda).

Depois da derrota perante este adversário (56-66) nas eliminatórias de acesso ao Campeonato do Mundo, hoje os angolanos foram resilientes e se redimiram dos insucessos fora das previsões nas jornadas anteriores.

Proibidos de perder após duas derrotas consecutivas diante de Cabo Verde, na jornada inaugural (71-77) e na seguinte diante do Rwanda (68-71), os hendecapeões até iniciaram mal o jogo, mas Childe Dundão marcou cinco pontos que permitiu passarem para frente pela primeira vez (18-17).

Apesar da pressão, resultante da reacção congolesa, os angolanos seguraram o marcador com ligeira vantagem de três pontos, ou seja 24-21, ao final no período inicial.

A etapa seguinte começou com um triplo do adversário igualando a partida em 24 pontos, mas nem mesmo isso abalou a estrutura de Angola, que teve em Carlos Morais, melhor marcador com 16 pontos, como um dos esteios do triunfo.

No entanto, nada estava ainda resolvido e a RDC passou à frente do marcador 27-32, mas o empate a 37 pontos surgiu de imediato, resultado ao intervalo.

No reatamento, Angola mostrou o que até então tinha desconseguido. Circulação de bola, boa defesa e jogo ofensivo eficaz permitiu a primeira fuga ao placar de oito pontos de diferença (48-40) que diminuiu para seis (56-50) ao cabo do terceiro quarto.

A etapa derradeira da partida foi dedicada à gestão do tempo de posse de bola e, sobretudo, do resultado numa partida onde Gerson Gonçalves voltou às boas exibições.

Ao contrário dos desafios anteriores, o atleta do Petro de Luanda anotou 11 pontos em 24 minutos em campo, tal como o capitão Eduardo Mingas (13/18), autor do triplo que abriu caminho para o triunfo confortante de 73-58.

Este resultado coloca Angola na terceira posição do grupo A, com quatro pontos. Defronta o Egipto nos oitavos-de-final, que perdeu nesta última ronda com a Guiné Conacry, por 78-86.

Ficha do jogo

Gerson Gonçalves (11 pts 24 min), Childe Dundão (10/20), Carlos Morais (16/26), Jone Pedro (2/3), Gilson Bango (3/13), Leonel Paulo (00/7), Teotónio Dó (7/22), Aboubakar Gakou (4/13), Edson Ndoniema (5/23), Eduardo Mingas (13/18), Hermenegildo Santos (00/18) e Glofate Buiamba (2/6).

 

 

 

Depois da derrota perante este adversário (56-66) nas eliminatórias de acesso ao Campeonato do Mundo, hoje os angolanos foram resilientes e se redimiram dos insucessos fora das previsões nas jornadas anteriores.

Proibidos de perder após duas derrotas consecutivas diante de Cabo Verde, na jornada inaugural (71-77) e na seguinte diante do Rwanda (68-71), os hendecapeões até iniciaram mal o jogo, mas Childe Dundão marcou cinco pontos que permitiu passarem para frente pela primeira vez (18-17).

Apesar da pressão, resultante da reacção congolesa, os angolanos seguraram o marcador com ligeira vantagem de três pontos, ou seja 24-21, ao final no período inicial.

A etapa seguinte começou com um triplo do adversário igualando a partida em 24 pontos, mas nem mesmo isso abalou a estrutura de Angola, que teve em Carlos Morais, melhor marcador com 16 pontos, como um dos esteios do triunfo.

No entanto, nada estava ainda resolvido e a RDC passou à frente do marcador 27-32, mas o empate a 37 pontos surgiu de imediato, resultado ao intervalo.

No reatamento, Angola mostrou o que até então tinha desconseguido. Circulação de bola, boa defesa e jogo ofensivo eficaz permitiu a primeira fuga ao placar de oito pontos de diferença (48-40) que diminuiu para seis (56-50) ao cabo do terceiro quarto.

A etapa derradeira da partida foi dedicada à gestão do tempo de posse de bola e, sobretudo, do resultado numa partida onde Gerson Gonçalves voltou às boas exibições.

Ao contrário dos desafios anteriores, o atleta do Petro de Luanda anotou 11 pontos em 24 minutos em campo, tal como o capitão Eduardo Mingas (13/18), autor do triplo que abriu caminho para o triunfo confortante de 73-58.

Este resultado coloca Angola na terceira posição do grupo A, com quatro pontos. Defronta o Egipto nos oitavos-de-final, que perdeu nesta última ronda com a Guiné Conacry, por 78-86.

Ficha do jogo

Gerson Gonçalves (11 pts 24 min), Childe Dundão (10/20), Carlos Morais (16/26), Jone Pedro (2/3), Gilson Bango (3/13), Leonel Paulo (00/7), Teotónio Dó (7/22), Aboubakar Gakou (4/13), Edson Ndoniema (5/23), Eduardo Mingas (13/18), Hermenegildo Santos (00/18) e Glofate Buiamba (2/6).