Afrotaças: Maquis estreia-se diante do Étoile do Congo

Luena – O FC Bravos do Maquis do Moxico estreia-se, este sábado (28), em Brazzaville, frente a equipa do Étoile da República do Congo, no jogo inaugural da primeira fase da Taça da Confederação (CAF).

A equipa do Moxico, que se encontra na capital do país (Luanda), viaja no mesmo dia do jogo ao Congo, com um plantel composto por 24 jogadores, sob comando do técnico Zeca Amaral.

Ao falar hoje à Angop, o vice-presidente para o Futebol da agremiação, José Barraca Dembo, disse estar confinate numa vitória, se se ter em conta o bom desempenho durante o torneio de futebol “Trumuno fora de Época.

Durante a prova que serviu para ganhar rotatividade, o FC Bravos do Maquis perdeu com o 1º de Agosto (1-3), empate com Petro de Luanda (1-1) e derrotou o Sagrada Esperança da Lunda Norte (2-1).

Não obstante a essa prova, afirmou que a equipa precisava de mais jogos para estar ao nível do adversário que já joga algum tempo e é terceiro classificado. 

Relativamente a questão financeira, o dirigente desta equipa patrocinada pela SODIAM e o banco BIC disse estar tudo assegurado.

Por falta de condições de transmissão dos jogos e outras regras definidas pela Federação Internacional da modalidade (FIFA) e da Federação Angola de Futebol (FAF), esclareceu que a formação do Moxico vai disputar todos os jogos no estádio dos Coqueiros, em Luanda.

O FC Bravos do Maquis existe desde 27 de Julho de 1983, desde então a sua maior conquista foi o terceiro lugar do Girabola, conseguido em 2013, numa prova em que ascendeu em 1999.

No seu palmarés consta ainda a conquista, em 2015, pela primeira vez, a Taça de Angola, apurando na Taça das Confederações, porém, viria a deistir  por falta de verbas.

Já o seu adversário de estreia, O Étoile do Congo, foi fundando em 1926, já teve 12 participações na liga dos Campeões da CAF e duas vezes na Taça das Confederações.

No campeonato Congolês de futebol, conquistou 13 títulos, sete na Competição da cidade de Brazzaville e cinco na Copa Nacional. 

A equipa Congolesa ficou na sexta posição com 31 pontos na 22ª jornada, antes da paralisação do campeonato de futebol, cancelado em Março devido ao surgimento da covid-19.

 

A equipa do Moxico, que se encontra na capital do país (Luanda), viaja no mesmo dia do jogo ao Congo, com um plantel composto por 24 jogadores, sob comando do técnico Zeca Amaral.

Ao falar hoje à Angop, o vice-presidente para o Futebol da agremiação, José Barraca Dembo, disse estar confinate numa vitória, se se ter em conta o bom desempenho durante o torneio de futebol “Trumuno fora de Época.

Durante a prova que serviu para ganhar rotatividade, o FC Bravos do Maquis perdeu com o 1º de Agosto (1-3), empate com Petro de Luanda (1-1) e derrotou o Sagrada Esperança da Lunda Norte (2-1).

Não obstante a essa prova, afirmou que a equipa precisava de mais jogos para estar ao nível do adversário que já joga algum tempo e é terceiro classificado. 

Relativamente a questão financeira, o dirigente desta equipa patrocinada pela SODIAM e o banco BIC disse estar tudo assegurado.

Por falta de condições de transmissão dos jogos e outras regras definidas pela Federação Internacional da modalidade (FIFA) e da Federação Angola de Futebol (FAF), esclareceu que a formação do Moxico vai disputar todos os jogos no estádio dos Coqueiros, em Luanda.

O FC Bravos do Maquis existe desde 27 de Julho de 1983, desde então a sua maior conquista foi o terceiro lugar do Girabola, conseguido em 2013, numa prova em que ascendeu em 1999.

No seu palmarés consta ainda a conquista, em 2015, pela primeira vez, a Taça de Angola, apurando na Taça das Confederações, porém, viria a deistir  por falta de verbas.

Já o seu adversário de estreia, O Étoile do Congo, foi fundando em 1926, já teve 12 participações na liga dos Campeões da CAF e duas vezes na Taça das Confederações.

No campeonato Congolês de futebol, conquistou 13 títulos, sete na Competição da cidade de Brazzaville e cinco na Copa Nacional. 

A equipa Congolesa ficou na sexta posição com 31 pontos na 22ª jornada, antes da paralisação do campeonato de futebol, cancelado em Março devido ao surgimento da covid-19.