Petro inicia corrida à fase de grupos da “Champions”

  • Toni Cosano, Técnico do Petro atlético de Luanda
Luanda - O Petro de Luanda defronta às 15:30 deste domingo, em Malabo, o Akonangui da Guiné Equatorial, para a primeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol.

Ansiosos, tal como disse o técnico principal Toni Cosano, na sexta-feira, em conferência de imprensa de lançamento do confronto, os “tricolores” buscam por uma vitória, oito meses depois sem jogos oficiais, por conta da Covid - 19.

Na competição, de acordo com o treinador espanhol, o objectivo inicial é chegar à fase de grupos.

O desafio vai decorrer no Estádio de Ebebiyin, no qual o representante nacional realizou, sábado, o treino de reconhecimento, conforme programa distribuído à imprensa no país.

Sem duas peças fundamentais, nomeadamente o avançado Maikon Leite e o defesa central Wilson, por limitações físicas, o Petro, concorrente habitual nesta prova,  defronta um adversário desconhecido no futebol africano.

O avançado Thiago Azulão reconhece tratar-se de um oponente ainda sem cartas em África, mas garantiu que a motivação no seio do grupo é enorme, por se tratar de uma prova onde o conjunto pretende conquistar o seu espaço.

“Todo jogo é importante, apesar de não ser uma equipa tradicional, vamos dar o nosso máximo”, referiu o melhor goleador do Campeonato Nacional de futebol nas edições de 2017 (16 golos) e 2018 (20).

Até à data, o melhor resultado do Petro de Luanda nesta competição continental foi as meias-finais da edição de 2001, afastado pelo Mamelodi Sundowns, da África do Sul, aos penáltes, por 3-5.

Na altura, terminou na primeira posição do grupo – B com 12 pontos à frente de formações conceituadas em África como o Al Ahly do Egipto, que sábado conquistou a prova (2019/20), com o contributo do angolano Geraldo, ex-1.º de Agosto.

Ansiosos, tal como disse o técnico principal Toni Cosano, na sexta-feira, em conferência de imprensa de lançamento do confronto, os “tricolores” buscam por uma vitória, oito meses depois sem jogos oficiais, por conta da Covid - 19.

Na competição, de acordo com o treinador espanhol, o objectivo inicial é chegar à fase de grupos.

O desafio vai decorrer no Estádio de Ebebiyin, no qual o representante nacional realizou, sábado, o treino de reconhecimento, conforme programa distribuído à imprensa no país.

Sem duas peças fundamentais, nomeadamente o avançado Maikon Leite e o defesa central Wilson, por limitações físicas, o Petro, concorrente habitual nesta prova,  defronta um adversário desconhecido no futebol africano.

O avançado Thiago Azulão reconhece tratar-se de um oponente ainda sem cartas em África, mas garantiu que a motivação no seio do grupo é enorme, por se tratar de uma prova onde o conjunto pretende conquistar o seu espaço.

“Todo jogo é importante, apesar de não ser uma equipa tradicional, vamos dar o nosso máximo”, referiu o melhor goleador do Campeonato Nacional de futebol nas edições de 2017 (16 golos) e 2018 (20).

Até à data, o melhor resultado do Petro de Luanda nesta competição continental foi as meias-finais da edição de 2001, afastado pelo Mamelodi Sundowns, da África do Sul, aos penáltes, por 3-5.

Na altura, terminou na primeira posição do grupo – B com 12 pontos à frente de formações conceituadas em África como o Al Ahly do Egipto, que sábado conquistou a prova (2019/20), com o contributo do angolano Geraldo, ex-1.º de Agosto.