Adeptos "petrolíferos" continuam sem espaço nas Afrotaças

  • Equipa do Petro de Luanda
Luanda - O jogo entre o Petro de Luanda e o Kaizer Chiefs da África do Sul, referente à quarta jornada do grupo C da Liga dos Campeões Africanos de futebol, será disputado sem público nas bancadas, a semelhança do jogo diante dos marroquinos do Wydad.

Agendado para a próxima terça-feira, dia 16, às 17h00 no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, o desafio será assistido apenas por utentes da zona VIP, de acordo com um comunicado da Federação Angolana de Futebol (FAF).

Deste modo, os adeptos do Petro de Luanda, que esta temporada "apostou" na conquista do título nacional e qualificação para os quartos-de-final nas Afrotaças, continuam sem espaço nas bancadas para apoiar a equipa na prova continental.

Para o desafio, a Confederação Africana de Futebol (CAF) nomeou uma equipa de arbitragem do Burundi.

O trio é chefiado pelo árbitro Pacifique Ndabihawenimana e tem como auxiliares Willy Habimana e Pascal Ndimunzigo. Thierry Nkurunziza é o quarto árbitro, ao passo que Johannes Jakob, proveniente da Namíbia, é o comissário ao jogo.

O médico angolano Pedro Miguel é o oficial Covid-19, nomeado pela CAF.

O Petro de Luanda ocupa a última posição do grupo C, sem pontuar, fruto de três derrotas em igual número de jogos.

O único "sobrevivente” angolano na competição africana de clubes enfrenta, ainda, a contrariedade de ter consentido cinco golos e não ter marcado nenhum, facto que o coloca numa situação complicada.

A depender de terceiros para lograr os intentos de se qualificar aos quartos-de-final da presente edição da Liga dos Campeões de África, espera-se uma reacção positiva diante do Kaizer Chiefs, no dia 16, sob o risco de dizer prematuramente "adeus” à competição.

Agendado para a próxima terça-feira, dia 16, às 17h00 no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, o desafio será assistido apenas por utentes da zona VIP, de acordo com um comunicado da Federação Angolana de Futebol (FAF).

Deste modo, os adeptos do Petro de Luanda, que esta temporada "apostou" na conquista do título nacional e qualificação para os quartos-de-final nas Afrotaças, continuam sem espaço nas bancadas para apoiar a equipa na prova continental.

Para o desafio, a Confederação Africana de Futebol (CAF) nomeou uma equipa de arbitragem do Burundi.

O trio é chefiado pelo árbitro Pacifique Ndabihawenimana e tem como auxiliares Willy Habimana e Pascal Ndimunzigo. Thierry Nkurunziza é o quarto árbitro, ao passo que Johannes Jakob, proveniente da Namíbia, é o comissário ao jogo.

O médico angolano Pedro Miguel é o oficial Covid-19, nomeado pela CAF.

O Petro de Luanda ocupa a última posição do grupo C, sem pontuar, fruto de três derrotas em igual número de jogos.

O único "sobrevivente” angolano na competição africana de clubes enfrenta, ainda, a contrariedade de ter consentido cinco golos e não ter marcado nenhum, facto que o coloca numa situação complicada.

A depender de terceiros para lograr os intentos de se qualificar aos quartos-de-final da presente edição da Liga dos Campeões de África, espera-se uma reacção positiva diante do Kaizer Chiefs, no dia 16, sob o risco de dizer prematuramente "adeus” à competição.