Alexandre Santos prevê dificuldades

  • Petro mantém liderança do Girabola
Luanda - O técnico do Petro de Luanda, Alexandre Santos, disse hoje prever dificuldades no jogo de sábado, frente ao Otoho do Congo, de acesso à Liga africana de futebol, tendo em conta o pouco tempo de preparação do grupo.

Segundo o treinador, que falava na conferência de imprensa de lançamento da derradeira partida, o tempo não é favorável aos petrolíferos, pois efectuarão o terceiro jogo de alto nível em apenas seis dias.

Referiu que os dois plantéis possuem muita qualidade e o objectivo único de atingir a fase de grupos faz antever equilíbrio.

Disse ter sido uma semana, específica, de difícil preparação, durante a qual priorizou o diálogo e análise de vídeo do jogo da primeira mão, contrariamente ao trabalho de campo, como forma de poupar fisicamente os jogadores, sobretudo os habituais titulares.

Apesar disto, Alexandre Santos sublinhou o facto de a equipa ter marcado golos nas partidas até então realizadas nesta competição, o que, na sua opinião, deixa alguma “tranquilidade”.

Segundo o técnico, o adversário tem um estilo de jogo direccionado ao ataque rápido, mas o Petro deverá evitar eventual surpresa quanto a esse aspecto.

O jogo é referente à segunda “mão” da última eliminatória de acesso à Liga dos Campeões Africanos e terá início às 16 horas, no Estádio 11 de Novembro, na capital do país.

Na primeira “mão” as equipas empataram a dois golos, com golos de Gleison e Vidinho, pelo Petro, enquanto Nkaya e Okour marcaram pelos congoleses.

O Otoho do Congo está em Luanda desde quinta-feira e hoje efectua o treino de reconhecimento ao relvado do 11 de Novembro.

O jogo será ajuizado por um trio de árbitros do Rwanda, também já Luanda, chefiado por Jean Claude Ishiwe, coadjuvado por Dieudonne Mutuyimana e Raymond  Bwiliza.

Caso não consiga qualificar-se sábado, os petrolíferos, que perseguem a quarta presença na Liga, terão ainda a possibilidade de entrar na Taça da Confederação.

Segundo o treinador, que falava na conferência de imprensa de lançamento da derradeira partida, o tempo não é favorável aos petrolíferos, pois efectuarão o terceiro jogo de alto nível em apenas seis dias.

Referiu que os dois plantéis possuem muita qualidade e o objectivo único de atingir a fase de grupos faz antever equilíbrio.

Disse ter sido uma semana, específica, de difícil preparação, durante a qual priorizou o diálogo e análise de vídeo do jogo da primeira mão, contrariamente ao trabalho de campo, como forma de poupar fisicamente os jogadores, sobretudo os habituais titulares.

Apesar disto, Alexandre Santos sublinhou o facto de a equipa ter marcado golos nas partidas até então realizadas nesta competição, o que, na sua opinião, deixa alguma “tranquilidade”.

Segundo o técnico, o adversário tem um estilo de jogo direccionado ao ataque rápido, mas o Petro deverá evitar eventual surpresa quanto a esse aspecto.

O jogo é referente à segunda “mão” da última eliminatória de acesso à Liga dos Campeões Africanos e terá início às 16 horas, no Estádio 11 de Novembro, na capital do país.

Na primeira “mão” as equipas empataram a dois golos, com golos de Gleison e Vidinho, pelo Petro, enquanto Nkaya e Okour marcaram pelos congoleses.

O Otoho do Congo está em Luanda desde quinta-feira e hoje efectua o treino de reconhecimento ao relvado do 11 de Novembro.

O jogo será ajuizado por um trio de árbitros do Rwanda, também já Luanda, chefiado por Jean Claude Ishiwe, coadjuvado por Dieudonne Mutuyimana e Raymond  Bwiliza.

Caso não consiga qualificar-se sábado, os petrolíferos, que perseguem a quarta presença na Liga, terão ainda a possibilidade de entrar na Taça da Confederação.