AMUD promove desporto no lar Seaka

  • Momento da recepção do material Desportivo
Luanda – Os estudantes do lar Seaka, no Capalanga, município de Viana, beneficiaram, sábado, de material desportivo, oferta da Associação Angolana a Mulher e o Desporto (AMUD).

Numa actividade enquadrada no programa da instituição de promoção do desporto nas comunidades, o material não quantificado é composto por bolas de futebol e de basquetebol, acção que se prevê contínua.

Além dos artigos desportivos, os estudantes da escola de beneficência receberam também material de ensino, lancheiras e mochilas.

Por mais de três horas, membros da AMUD, lideradas pela presidente de direcção, Justina Praça, proporcionaram igualmente um natal antecipado aos mais de duas centenas de alunos.

No total, o lar congrega seis mil estudantes do ensino primário até ao segundo ciclo, cujos professores trabalham em regime de voluntariado.

O lar Seaka possui também uma área de artes e ofícios, além de uma clínica com capacidade de atendimento para 300 pacientes por dia, segundo a sua direcção. Os técnicos de saúde também trabalham sem remuneração.

Trata-se da primeira actividade oficial desta organização, que faz advocacia desportiva com o objectivo de promover o desporto, particularmente no sector feminino, desde a tomada de posse do presente elenco, em Novembro último.

 

Numa actividade enquadrada no programa da instituição de promoção do desporto nas comunidades, o material não quantificado é composto por bolas de futebol e de basquetebol, acção que se prevê contínua.

Além dos artigos desportivos, os estudantes da escola de beneficência receberam também material de ensino, lancheiras e mochilas.

Por mais de três horas, membros da AMUD, lideradas pela presidente de direcção, Justina Praça, proporcionaram igualmente um natal antecipado aos mais de duas centenas de alunos.

No total, o lar congrega seis mil estudantes do ensino primário até ao segundo ciclo, cujos professores trabalham em regime de voluntariado.

O lar Seaka possui também uma área de artes e ofícios, além de uma clínica com capacidade de atendimento para 300 pacientes por dia, segundo a sua direcção. Os técnicos de saúde também trabalham sem remuneração.

Trata-se da primeira actividade oficial desta organização, que faz advocacia desportiva com o objectivo de promover o desporto, particularmente no sector feminino, desde a tomada de posse do presente elenco, em Novembro último.