Angola busca acesso às meias-finais no reencontro com RDC

  • Angola no Campeonato Africano de Andebol
Luanda – A selecção angolana sénior feminina de andebol disputa, terça-feira, em Yaoundé (Camarões), o aceso às meias-finais do campeonato africano da categoria diante da sua congénere da República Democrática do Congo (RDC).

Neste reencontro entre dois dos melhores conjuntos do continente, três anos depois da última disputa entre si, o "sete" nacional, orientado tecnicamente por Filipe Cruz, terá pela frente uma equipa mais experimentada em relação às duas que defrontou até agora nesta prova.

Despontam na selecção da RDC, entre outras, a internacional Christianne Mwassessa, congolesa que actua no campeonato angolano (1º de Agosto) e conhece, bem, boa parte das oponentes.

Outro factor que joga, pelo menos teoricamente, a desfavor de Angola, é a capacidade física da adversária, aliada ao "desejo" desta de "desforra" do último desaire (24-33) em 2018, no campeonato africano, em Brazaville (Congo), ainda na etapa de grupos.

A julgar por essas e outras situações, pode-se antever um jogo renhido (a partir das 12 horas) na abertura dos quartos-de-final, no Palácio dos Desportos de Yaoundé.

No entanto, Angola, primeira classificada do grupo C, com quatro pontos, entra para a eliminatória motivada pelo triunfo, domingo, ante o Congo Brazaville (29-24).

Embora tenha feito menos um jogo que a RDC, tem demonstrado possuir ainda qualidade e experiência para superar obstáculos na caminhada tendente à revalidação do título.

Isabel Guialo, Wuta Dombaxi, Natália Bernardo, Albertina Cassoma e companhia fizeram o pleno na série, "amputada" com a desistência da Argélia, ao golear Cabo Verde (39-14) e superar por cinco golos a formação de Brazaville (29-24).

Por sua vez, a RDC, segunda do grupo B, igualmente com quatro pontos, começou por golear o Quénia (42-16) e a Nigéria (35-16), mas perdeu o último desafio, sábado, frente às anfitriãs, Camarões, por 21-26.

Três anos depois, em campo estarão o campeão e o 3º classificado da edição anterior, no dia reservado, também, aos jogos Tunísia-Guiné (14:00), Senegal-Congo Brazaville (16h) e Camarões-Nigéria, às 18 horas, todos no mesmo recinto.

Esta segunda-feira, o Quénia venceu o Madagáscar, por 33-30, nas classificativas do 9º ao 11º lugares, e no dia 17 (quinta-feira) defronta a selecção de Cabo Verde.

 

 

Neste reencontro entre dois dos melhores conjuntos do continente, três anos depois da última disputa entre si, o "sete" nacional, orientado tecnicamente por Filipe Cruz, terá pela frente uma equipa mais experimentada em relação às duas que defrontou até agora nesta prova.

Despontam na selecção da RDC, entre outras, a internacional Christianne Mwassessa, congolesa que actua no campeonato angolano (1º de Agosto) e conhece, bem, boa parte das oponentes.

Outro factor que joga, pelo menos teoricamente, a desfavor de Angola, é a capacidade física da adversária, aliada ao "desejo" desta de "desforra" do último desaire (24-33) em 2018, no campeonato africano, em Brazaville (Congo), ainda na etapa de grupos.

A julgar por essas e outras situações, pode-se antever um jogo renhido (a partir das 12 horas) na abertura dos quartos-de-final, no Palácio dos Desportos de Yaoundé.

No entanto, Angola, primeira classificada do grupo C, com quatro pontos, entra para a eliminatória motivada pelo triunfo, domingo, ante o Congo Brazaville (29-24).

Embora tenha feito menos um jogo que a RDC, tem demonstrado possuir ainda qualidade e experiência para superar obstáculos na caminhada tendente à revalidação do título.

Isabel Guialo, Wuta Dombaxi, Natália Bernardo, Albertina Cassoma e companhia fizeram o pleno na série, "amputada" com a desistência da Argélia, ao golear Cabo Verde (39-14) e superar por cinco golos a formação de Brazaville (29-24).

Por sua vez, a RDC, segunda do grupo B, igualmente com quatro pontos, começou por golear o Quénia (42-16) e a Nigéria (35-16), mas perdeu o último desafio, sábado, frente às anfitriãs, Camarões, por 21-26.

Três anos depois, em campo estarão o campeão e o 3º classificado da edição anterior, no dia reservado, também, aos jogos Tunísia-Guiné (14:00), Senegal-Congo Brazaville (16h) e Camarões-Nigéria, às 18 horas, todos no mesmo recinto.

Esta segunda-feira, o Quénia venceu o Madagáscar, por 33-30, nas classificativas do 9º ao 11º lugares, e no dia 17 (quinta-feira) defronta a selecção de Cabo Verde.