Angola obtém primeira vitória nas olimpíadas

  • Arquivo da selecção de andebol
Luanda - A selecção angolana de andebol venceu, na madrugada de sábado, a sua congénere do Japão, por 28-25, em jogo da quarta jornada do grupo A, do torneio olímpico de Tóquio 2020.

Ao intervalo, a selecção, treinada por Filipe Cruz, ganhava por 15-13, numa partida em que imprimiu maior movimentação em campo e boa reacção defensiva, ao contrário das anteriores três partidas.

Com essa primeira vitória, Angola abre perspectivas de qualificação aos quartos-de-final, caso vença a Coreia do Sul, segunda-feira, na quinta e última jornada da fase de grupos.

Diante das anfitriãs, a selecção nacional tirou vantagem do porte físico ligeiramente maior, em relação às japonesas, e impôs o seu jogo, com incidência no corredor central, onde se evidenciaram, entre outras, a capitã Isabel Guialo, Magda Cazanga e a pivot Albertina Cassoma.

Realce também para a guarda-redes Helena Sousa, que fez defesas difíceis, em momentos cruciais do jogo, algumas de forma sucessiva, atitude que transmitiu confiança ao grupo.

Angola perdeu os primeiros desafios frente a Monte Negro, Noruega e Países Baixos.

Ao intervalo, a selecção, treinada por Filipe Cruz, ganhava por 15-13, numa partida em que imprimiu maior movimentação em campo e boa reacção defensiva, ao contrário das anteriores três partidas.

Com essa primeira vitória, Angola abre perspectivas de qualificação aos quartos-de-final, caso vença a Coreia do Sul, segunda-feira, na quinta e última jornada da fase de grupos.

Diante das anfitriãs, a selecção nacional tirou vantagem do porte físico ligeiramente maior, em relação às japonesas, e impôs o seu jogo, com incidência no corredor central, onde se evidenciaram, entre outras, a capitã Isabel Guialo, Magda Cazanga e a pivot Albertina Cassoma.

Realce também para a guarda-redes Helena Sousa, que fez defesas difíceis, em momentos cruciais do jogo, algumas de forma sucessiva, atitude que transmitiu confiança ao grupo.

Angola perdeu os primeiros desafios frente a Monte Negro, Noruega e Países Baixos.