Angola perde diante de Montenegro

  • Arquivo da selecção de andebol
Luanda – A selecção angolana de andebol perdeu, este domingo, diante de Montenegro, por 22-33, em jogo da primeira jornada do grupo A dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, no Japão.

Ao intervalo a desvantagem angolana era mínima (12-13)

Depois de uma primeira parte equilibrada, o conjunto nacional mostrou-se incapaz de ombrear até ao final, tendo cometido muitos erros no ataque e sobretudo na defesa, e nem as paragens sucessivas (desconto de tempo) solicitadas pelo técnico Filipe Cruz, a fim de orientar o grupo, serviam para as correcções que se impunham.

A equipa ficou sete minutos e 50 segundos sem marcar, numa altura em que sofrera seis golos, e quando o placar assinalava já 12-19 foi que Natália Fonseca anotou o 13º tento.

O grupo despertou muito tarde e, daí em diante, apesar do esforço implementado não foi possível fazer melhor ante um adversário bem estruturado táctica e tecnicamente.

Em alguns momentos o seleccionador optou por aumentar as opções no ataque ao substituir a guarda-redes por uma jogadora de campo, o que custou caro a selecção, pois as montenegrinas acabavam por marcar golos à longa distância.

As campeãs africanas voltam a jogar terça-feira (27) frente a Noruega (campeã europeia), seguindo-se, dois dias depois, a Holanda (campeã do mundo), Japão (dia 31) e Coreia do Sul, esta última no fecho da fase de grupos a dois de Agosto.

A Rússia detém o ouro olímpico.

 

Ao intervalo a desvantagem angolana era mínima (12-13)

Depois de uma primeira parte equilibrada, o conjunto nacional mostrou-se incapaz de ombrear até ao final, tendo cometido muitos erros no ataque e sobretudo na defesa, e nem as paragens sucessivas (desconto de tempo) solicitadas pelo técnico Filipe Cruz, a fim de orientar o grupo, serviam para as correcções que se impunham.

A equipa ficou sete minutos e 50 segundos sem marcar, numa altura em que sofrera seis golos, e quando o placar assinalava já 12-19 foi que Natália Fonseca anotou o 13º tento.

O grupo despertou muito tarde e, daí em diante, apesar do esforço implementado não foi possível fazer melhor ante um adversário bem estruturado táctica e tecnicamente.

Em alguns momentos o seleccionador optou por aumentar as opções no ataque ao substituir a guarda-redes por uma jogadora de campo, o que custou caro a selecção, pois as montenegrinas acabavam por marcar golos à longa distância.

As campeãs africanas voltam a jogar terça-feira (27) frente a Noruega (campeã europeia), seguindo-se, dois dias depois, a Holanda (campeã do mundo), Japão (dia 31) e Coreia do Sul, esta última no fecho da fase de grupos a dois de Agosto.

A Rússia detém o ouro olímpico.