Angola perde pela segunda vez na corrida ao Qatar

  • Selecção de futebol de Angola (Arquivo)
Luanda - A selecção nacional de futebol perdeu esta terça-feira diante da Líbia, por 0-1, em partida da 2ª jornada (grupo F), disputada no estádio 11 de Novembro, em Luanda, consentindo a segunda derrota nas eliminatórias do Campeonato do Mundo Qatar`2022.

O golo solitário do jogo foi anotado aos 43 minutos, por intermédio de Al Khoja, numa altura em que o combinado nacional pressionava o oponente no seu último reduto.

Na primeira ronda, o combinado nacional perdeu diante do Egipto também, por 0-1, num desafio cuja postura foi totalmente superior a patenteada hoje perante cerca de dez mil espectadores.

Efectivamente, a crença de uma vitória dos Palancas Negras baseava-se no jogo bem conseguido no Cairo.

Apesar de derrotados por número escasso, fezeram por merecer o empate ou mesmo a vitória se concretizadas as várias oportunidades criadas, a mais flagrante bem no início da partida, por Vá, que falha o remate com o guarda-redes já batido.

No desafio desta noite, o técnico Pedro Gonçalves operou mudanças no onze inicial relativamente ao utilizado contra os egípcios, o guarda-redes Hugo Marques deu lugar a Kadu, Ary Papel (Beachi), ambos preponderantes na baliza e no ataque do confronto anterior.

A selecção nacional voltou a demonstrar ineficácia no ataque e alguma falta de entrosamento entre os sectores, fundamentalmente no defensivo onde as compensações nem sempre são feitas.

Angola até pressionou o oponente como lhe competia na condição de anfitriã, mas Ary Papel, Vá, Fredy e Fábio Abreu foram incapazes de marcar.

O primeiro e verdadeiro lance para golo surgiu ainda no primeiro tempo, quando o defesa Bastos Quissanga desvia a bola de cabeça, para muito próximo da barra transversal do guarda-redes, Nashnush. 

No intervalo, Pedro Gonçalves ainda tentou a inversão do quadro com as entradas de  Bachi, Simone Miranda e Zito Luvumbo, tendo a acção resultado no aumento do volume de jogo, sem, no entanto, o golo do empate ao menos.

Com a derrota, Angola mantém-se na última posição do grupo sem pontuar. A Líbia lidera com 6 pontos, seguido do Egipto com quatro e Gabão com um.

Quarenta selecções procuram o passe para a zona africana repartidas em dez grupos de quatro cada. Para a outra fase apuram-se apenas os vencedores.

Na etapa posterior as dez equipas enfrentam-se, num "play off” de cinco jogos, do qual sairão as cinco selecções africanas que estarão no Qatar.

No dia 5 de Outubro, às 19h00, os Palancas Negras recebem as Panteras do Gabão, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, para a terceira jornada.

Para a mesma jornada, os Faraós enfrentam os Cavaleiros do Mediterrâneo no mesmo dia, às 19h00, no Estádio 30 de Junho, na cidade do Cairo.

O Mundial do Qatar disputa-se de 21 de Novembro a 18 de  Dezembro de 2022.
 

 

 

O golo solitário do jogo foi anotado aos 43 minutos, por intermédio de Al Khoja, numa altura em que o combinado nacional pressionava o oponente no seu último reduto.

Na primeira ronda, o combinado nacional perdeu diante do Egipto também, por 0-1, num desafio cuja postura foi totalmente superior a patenteada hoje perante cerca de dez mil espectadores.

Efectivamente, a crença de uma vitória dos Palancas Negras baseava-se no jogo bem conseguido no Cairo.

Apesar de derrotados por número escasso, fezeram por merecer o empate ou mesmo a vitória se concretizadas as várias oportunidades criadas, a mais flagrante bem no início da partida, por Vá, que falha o remate com o guarda-redes já batido.

No desafio desta noite, o técnico Pedro Gonçalves operou mudanças no onze inicial relativamente ao utilizado contra os egípcios, o guarda-redes Hugo Marques deu lugar a Kadu, Ary Papel (Beachi), ambos preponderantes na baliza e no ataque do confronto anterior.

A selecção nacional voltou a demonstrar ineficácia no ataque e alguma falta de entrosamento entre os sectores, fundamentalmente no defensivo onde as compensações nem sempre são feitas.

Angola até pressionou o oponente como lhe competia na condição de anfitriã, mas Ary Papel, Vá, Fredy e Fábio Abreu foram incapazes de marcar.

O primeiro e verdadeiro lance para golo surgiu ainda no primeiro tempo, quando o defesa Bastos Quissanga desvia a bola de cabeça, para muito próximo da barra transversal do guarda-redes, Nashnush. 

No intervalo, Pedro Gonçalves ainda tentou a inversão do quadro com as entradas de  Bachi, Simone Miranda e Zito Luvumbo, tendo a acção resultado no aumento do volume de jogo, sem, no entanto, o golo do empate ao menos.

Com a derrota, Angola mantém-se na última posição do grupo sem pontuar. A Líbia lidera com 6 pontos, seguido do Egipto com quatro e Gabão com um.

Quarenta selecções procuram o passe para a zona africana repartidas em dez grupos de quatro cada. Para a outra fase apuram-se apenas os vencedores.

Na etapa posterior as dez equipas enfrentam-se, num "play off” de cinco jogos, do qual sairão as cinco selecções africanas que estarão no Qatar.

No dia 5 de Outubro, às 19h00, os Palancas Negras recebem as Panteras do Gabão, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, para a terceira jornada.

Para a mesma jornada, os Faraós enfrentam os Cavaleiros do Mediterrâneo no mesmo dia, às 19h00, no Estádio 30 de Junho, na cidade do Cairo.

O Mundial do Qatar disputa-se de 21 de Novembro a 18 de  Dezembro de 2022.