Angola arredada da corrida ao mundial do Qatar

  • Selecção Nacional de futebol (Arquivo)
Luanda - A selecção nacional de futebol perdeu esta segunda-feira com o Gabão, por 0-2, e deitou por terra qualquer possibilidade de qualificar-se ao Campeonato do Mundo de 2022, no Qatar.

Depois de uma primeira parte irrepreensível em que o desafio terminou igualado a zero bolas, o combinado nacional claudicou nos últimos 20 minutos de jogo, período em que consentiu dois golos.

Aubameyang, aos 74´, desmarcou-se de Gaspar, seu defensor directo, e rematou sem hipótese para o guarda-redes Hugo Marques, numa altura de grande pressão para o sector defensivo nacional.

Tal como no jogo da semana última em que Angola venceu em Luanda, por 3-1, as substituições operadas pelo técnico Pedro Gonçalves não surtiram os efeitos desejados. A selecção passou a defender-se menos bem e o ataque perdeu o fulgor de antes, ainda mais sem o substituído Ary Papel.

Zito Luvumbo e Carlinhos, principalmente estes dois, não produziram volume de jogo suficiente no ataque para importunar, de facto, a defesa contrária, num jogo em que Fredy, castigado por acumulação de amarelos, fez imensa falta ao ataque dos Palancas Negras.   

O segundo tento dos gaboneses aconteceu aos  84´, por Moucketou Moussounda, numa jogada elaborada individualmente por Aubameyang.

O atacante do Arsenal da Inglaterra evitou dois contrários e cruzou para a cabeça de Moussounda, fixando o marcador em 2-0.

No final, Hugo Marques ainda evitou o terceiro fazendo uma mancha com a bola a embater em seu corpo.

Agora não adianta falar das peripécias vividas pela selecção nacional após chegada, domingo, ao aeroporto de Franceville, onde ficou algumas horas numa sala minúscula, sem aparelhos de ar condicionado e sem ao menos cadeiras para sentar.

A verdade é que com esta derrota, a terceira desta fase de grupos, a equipa nacional fica afastada da corrida ao Campeonato do Mundo do próximo ano em função da sua posição na tabela classificativa. Transitam para a fase seguinte apenas os primeiros classificados de cada grupo.

Angola ocupa agora a quarta e última posição com três pontos, enquanto o Gabão é terceiro com quatro. O grupo é liderado pelo Egipto com sete pontos contra seis da Líbia. Estas duas formações defrontam-se ainda hoje.  

A selecção participou pela primeira e única vez numa fase final do mundial em 2006, prova disputada na Alemanha.

 

Depois de uma primeira parte irrepreensível em que o desafio terminou igualado a zero bolas, o combinado nacional claudicou nos últimos 20 minutos de jogo, período em que consentiu dois golos.

Aubameyang, aos 74´, desmarcou-se de Gaspar, seu defensor directo, e rematou sem hipótese para o guarda-redes Hugo Marques, numa altura de grande pressão para o sector defensivo nacional.

Tal como no jogo da semana última em que Angola venceu em Luanda, por 3-1, as substituições operadas pelo técnico Pedro Gonçalves não surtiram os efeitos desejados. A selecção passou a defender-se menos bem e o ataque perdeu o fulgor de antes, ainda mais sem o substituído Ary Papel.

Zito Luvumbo e Carlinhos, principalmente estes dois, não produziram volume de jogo suficiente no ataque para importunar, de facto, a defesa contrária, num jogo em que Fredy, castigado por acumulação de amarelos, fez imensa falta ao ataque dos Palancas Negras.   

O segundo tento dos gaboneses aconteceu aos  84´, por Moucketou Moussounda, numa jogada elaborada individualmente por Aubameyang.

O atacante do Arsenal da Inglaterra evitou dois contrários e cruzou para a cabeça de Moussounda, fixando o marcador em 2-0.

No final, Hugo Marques ainda evitou o terceiro fazendo uma mancha com a bola a embater em seu corpo.

Agora não adianta falar das peripécias vividas pela selecção nacional após chegada, domingo, ao aeroporto de Franceville, onde ficou algumas horas numa sala minúscula, sem aparelhos de ar condicionado e sem ao menos cadeiras para sentar.

A verdade é que com esta derrota, a terceira desta fase de grupos, a equipa nacional fica afastada da corrida ao Campeonato do Mundo do próximo ano em função da sua posição na tabela classificativa. Transitam para a fase seguinte apenas os primeiros classificados de cada grupo.

Angola ocupa agora a quarta e última posição com três pontos, enquanto o Gabão é terceiro com quatro. O grupo é liderado pelo Egipto com sete pontos contra seis da Líbia. Estas duas formações defrontam-se ainda hoje.  

A selecção participou pela primeira e única vez numa fase final do mundial em 2006, prova disputada na Alemanha.