Um angolano entre os árbitros eleitos para a prova FIBA

  • António Bernardo apita em Benguela (Arquivo)
Benguela - Apenas um angolano está entre os catorze árbitros que vão ajuizar os jogos das séries A e C da Primeira Janela de acesso ao Mundial sénior masculino de basquetebol da Ásia2023, que a cidade de Benguela acolhe, de 26 a 28 do corrente.

Trata-se do internacional António Bernardo, que mais uma vez mereceu a confiança da FIBA.

O profissional do apito, referência da actualidade, esteve em evidência no Afrobasket 2021, no Rwanda, onde ajuizou sete jogos, dos quais a final entre a Côte d’Ivoire e a Tunísia.

Os demais árbitros são provenientes da África do Sul, Benin, Ilhas Maurícias, Rwanda, Mali, Camarões e Egipto.

Durante três dias, vão ser disputados doze jogos, no pavilhão Acácias Rubra Arena.

Na série A estão as selecções de Cabo Verde, Nígeria, Uganda e Mali, enquanto que a C é constituída por Angola, Guiné, RCA  e Côte d Ivoire.

 Qem é António Bernardo

Árbitro desde 1993, efectuou o primeiro jogo oficial da carreira no dia 28 de Dezembro de 1993.

Este antigo presidente da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol, ascendeu à categoria nacional em 1998 e em 2005 tornou-se juiz internacional.

Nesse mesmo ano ajuizou na fase final da Taça dos Clubes Campeões feminino, em Bamako (Mali).

António Bernardo participou em 2006 no Campeonato Africano feminino de Sub - 20 em Maputo (Moçambique), em 2007 nos Jogos Panafricanos de Argel (Argélia) e em 2009 no Campeonato Africano feminino de Sub -16 em Bamako (Mali).

No ano de 2010 evoluiu no Campeonato Africano feminino em Sub - 18 no Cairo (Egipto), em 2011 nos Jogos Panafricanos  de Maputo (Moçambique) e em 2015 no Campeonato Africano de sénior feminino em Yaoundé (Camarões).

Em 2017 apitou no Campeonato Africano de sénior masculino em Túnis (Tunísia) e em 2019 no Africano sénior em Bamako (Mali).

Trata-se do internacional António Bernardo, que mais uma vez mereceu a confiança da FIBA.

O profissional do apito, referência da actualidade, esteve em evidência no Afrobasket 2021, no Rwanda, onde ajuizou sete jogos, dos quais a final entre a Côte d’Ivoire e a Tunísia.

Os demais árbitros são provenientes da África do Sul, Benin, Ilhas Maurícias, Rwanda, Mali, Camarões e Egipto.

Durante três dias, vão ser disputados doze jogos, no pavilhão Acácias Rubra Arena.

Na série A estão as selecções de Cabo Verde, Nígeria, Uganda e Mali, enquanto que a C é constituída por Angola, Guiné, RCA  e Côte d Ivoire.

 Qem é António Bernardo

Árbitro desde 1993, efectuou o primeiro jogo oficial da carreira no dia 28 de Dezembro de 1993.

Este antigo presidente da Associação Nacional de Juízes de Basquetebol, ascendeu à categoria nacional em 1998 e em 2005 tornou-se juiz internacional.

Nesse mesmo ano ajuizou na fase final da Taça dos Clubes Campeões feminino, em Bamako (Mali).

António Bernardo participou em 2006 no Campeonato Africano feminino de Sub - 20 em Maputo (Moçambique), em 2007 nos Jogos Panafricanos de Argel (Argélia) e em 2009 no Campeonato Africano feminino de Sub -16 em Bamako (Mali).

No ano de 2010 evoluiu no Campeonato Africano feminino em Sub - 18 no Cairo (Egipto), em 2011 nos Jogos Panafricanos  de Maputo (Moçambique) e em 2015 no Campeonato Africano de sénior feminino em Yaoundé (Camarões).

Em 2017 apitou no Campeonato Africano de sénior masculino em Túnis (Tunísia) e em 2019 no Africano sénior em Bamako (Mali).