Basquetebol: D'Agosto e Inter defrontam-se no destaque da Supertaça

  • Interclube vence 1º de Agosto em sua casa
Luanda - As equipas seniores masculinas de basquetebol do 1º de Agosto e Interclube defrontam-se, sexta-feira (17:00), no pavilhão Multiusos do Kilamba, em Luanda, no destaque das meias-finais da Supertaça Wlademiro Romero, prova que marca a abertura da época 2020/21.

A anteceder, jogam para a outra meia-final (às 14 horas), no mesmo recinto, Petro de Luanda e Vila Clotilde, neste novo formato da Supertaça, antes disputada em desafio único entre os vencedores do campeonato nacional e da Taça de Angola da época anterior.

A luta pelo primeiro troféu da temporada acontece num momento ímpar para a modalidade, estando as equipas a procurar reerguer-se de uma longa paragem forçada pela pandemia da covid-19, sobretudo as formações do Interclube e Vila Clotild, que há dez meses não realizam sequer uma partida.

Apesar desta particularidade, o desafio entre “militares” e “polícias” centra as atenções tendo em conta o equilíbrio nas últimas partidas entre ambos, antes da anulação do campeonato nacional, recaindo certo favoritismo para o D’Agosto, cujo plantel afigura-se mais experiente.

Com maior tempo de preparação e jogos já efectuados, os “rubro-negro” levam ligeira vantagem do ponto de vista competitivo, mas não devem descurar a capacidade de resiliência e superação do adversário, pois este possui um grupo à altura para ombrear, do qual despontam, entre outros, Paulo Barros, Roberto Fortes, Helmer Félix, Alexandre Jungo e Egídio Ventura.

Já o Petro, detentor do troféu, tem tarefa aparentemente mais facilitada diante do “modesto” Vila Clotilde, a julgar sobretudo pela disparidade dos plantéis, e a sua presença na final é quase um facto.

A final da Supertaça Wlademiro Romero está marcada para sábado, também no pavilhão do Kilamba.

Iniciada em 1994 com a conquista do Petro de Luanda, a Supertaça, competição dominada pelo 1º de Agosto com 13 troféus, viria a denominar-se Wlademiro Romero em 2006 em homenagem ao antigo técnico petrolífero e da selecção nacional, já falecido.

O Petro tem sete conquistas, o ASA três, o Libolo três e o Interclube uma.

 

A anteceder, jogam para a outra meia-final (às 14 horas), no mesmo recinto, Petro de Luanda e Vila Clotilde, neste novo formato da Supertaça, antes disputada em desafio único entre os vencedores do campeonato nacional e da Taça de Angola da época anterior.

A luta pelo primeiro troféu da temporada acontece num momento ímpar para a modalidade, estando as equipas a procurar reerguer-se de uma longa paragem forçada pela pandemia da covid-19, sobretudo as formações do Interclube e Vila Clotild, que há dez meses não realizam sequer uma partida.

Apesar desta particularidade, o desafio entre “militares” e “polícias” centra as atenções tendo em conta o equilíbrio nas últimas partidas entre ambos, antes da anulação do campeonato nacional, recaindo certo favoritismo para o D’Agosto, cujo plantel afigura-se mais experiente.

Com maior tempo de preparação e jogos já efectuados, os “rubro-negro” levam ligeira vantagem do ponto de vista competitivo, mas não devem descurar a capacidade de resiliência e superação do adversário, pois este possui um grupo à altura para ombrear, do qual despontam, entre outros, Paulo Barros, Roberto Fortes, Helmer Félix, Alexandre Jungo e Egídio Ventura.

Já o Petro, detentor do troféu, tem tarefa aparentemente mais facilitada diante do “modesto” Vila Clotilde, a julgar sobretudo pela disparidade dos plantéis, e a sua presença na final é quase um facto.

A final da Supertaça Wlademiro Romero está marcada para sábado, também no pavilhão do Kilamba.

Iniciada em 1994 com a conquista do Petro de Luanda, a Supertaça, competição dominada pelo 1º de Agosto com 13 troféus, viria a denominar-se Wlademiro Romero em 2006 em homenagem ao antigo técnico petrolífero e da selecção nacional, já falecido.

O Petro tem sete conquistas, o ASA três, o Libolo três e o Interclube uma.