Bodunha fala em resultado positivo frente ao Kaizer Chiefs

  • Mateus Agostinho "Bodunha", treinador do Petro de Luanda
Luanda - O treinador do Petro de Luanda, Mateus Agostinho "Bodunha”, mostrou-se hoje optimista quanto a uma vitória da sua equipa, terça-feira, diante do Kaizer Chiefs da África do Sul no jogo da 4ª jornada (grupo C) da Liga dos Clubes Campeões Africanos em futebol.

Segundo o técnico, que falava em conferência de imprensa de lançamento do desafio, apesar de várias adversidades, o grupo está moralizado e ao nível dos sul-africanos, pelo que precisa ser aguerrido durante toda partida.

Sem avançar nomes, nem números, referiu ter alguns jogadores condicionados fisicamente, em lento processo de recuperação, o que constitui a sua principal preocupação para o primeiro de três derradeiros jogos.

Por ser turno, o “capitão” Job afirmou que os níveis de ansiedade são altos em função da ausência de golos na prova, sublinhando a necessidade de vencer e relançar o Petro na prova.

"Trabalhamos todos os dias para vencer e queremos dar alegria aos adeptos", disse.

Sem presença efectiva de público, o jogo está marcado para as 17 horas de terça-feira, no Estádio 11 de Novembro, com 500 lugares reservados nos camarotes.

O Petro ocupa a última posição sem pontuar, num grupo liderado pelo Wydad Casablanca do Marrocos com nove, seguido do Horoya da Guiné Conacry e Kaizer Chiets, ambos com quatro pontos.

Em três jogos, o representante angolano sofreu derrotas de 0-2 ante ao Horoya, 0-1 frente ao Wydad e 0-2 diante do Kayzer Chiefs.

 

Segundo o técnico, que falava em conferência de imprensa de lançamento do desafio, apesar de várias adversidades, o grupo está moralizado e ao nível dos sul-africanos, pelo que precisa ser aguerrido durante toda partida.

Sem avançar nomes, nem números, referiu ter alguns jogadores condicionados fisicamente, em lento processo de recuperação, o que constitui a sua principal preocupação para o primeiro de três derradeiros jogos.

Por ser turno, o “capitão” Job afirmou que os níveis de ansiedade são altos em função da ausência de golos na prova, sublinhando a necessidade de vencer e relançar o Petro na prova.

"Trabalhamos todos os dias para vencer e queremos dar alegria aos adeptos", disse.

Sem presença efectiva de público, o jogo está marcado para as 17 horas de terça-feira, no Estádio 11 de Novembro, com 500 lugares reservados nos camarotes.

O Petro ocupa a última posição sem pontuar, num grupo liderado pelo Wydad Casablanca do Marrocos com nove, seguido do Horoya da Guiné Conacry e Kaizer Chiets, ambos com quatro pontos.

Em três jogos, o representante angolano sofreu derrotas de 0-2 ante ao Horoya, 0-1 frente ao Wydad e 0-2 diante do Kayzer Chiefs.