Boxe: Mike Tyson volta ao ringue 15 anos depois

Luanda – Enquanto crescem as expectativas há horas do combate, na noite deste sábado, ente os americanos Mike Tyson e Roy Jones Jr, aumenta também a repercussão internacional sobre quanto ganhará cada um pela luta. .

Segundo à imprensa internacional, o regresso aos ringues daquele que é considerado um dos maiores atletas do boxe mundial pode render para os seus bolsos cerca de 10 milhões de dólares.

Mas Tyson, 54 anos de idade, também já comentou à imprensa que pretende doar o valor que receber pela luta, já que seu objectivo e ajudar pessoas necessitadas, aliado ao prazer de voltar ao ringue.

Histórico

Fora dos ringues, coleciona polémicas e já foi preso por estupro, mas o adolescente problemático se transformou em uma lenda do boxe.

Com apenas 20 anos, tornou-se o mais jovem campeão mundial dos pesos pesados, tendo construído uma carreira impressionante ao longo dos anos.

Foram 58 lutas, 50 vitórias e 44 delas por nocaute. Mas a trajetória do pugilista também foi marcada por muitas confusões, polémicas e crimes.

Em 1992 foi condenado a seis anos de prisão por abusar sexualmente da miss Desiree Washington. Cumpriu metade da pena e foi solto em Março de 1995, devido ao bom comportamento.

Após isto, Mike Tyson voltou a lutar e a vencer. Pouco tempo depois, em 1997, protagonizou um dos episódios mais agressivos da história do boxe ao morder a orelha de Holyfield durante uma luta, sendo desclassificado e banido por um ano das competições.

Fora dos ringues, continuou tendo passagens pela polícia por acusações de agressões e posse de drogas. Um desses episódios foi no Brasil, em 2005, quando agrediu um cinegrafista e foi detido.

Naquele mesmo ano, depois de duas derrotas, se aposentou do boxe.

Agora, 15 anos depois, Tyson está prestes a retornar aos ringues, na luta contra Roy Jones Jr, durante a noite deste sábado.

Covid -19 retira espectáculo do combate
 
Por conta da pandemia do coronavírus, a tela de proteção impediu qualquer “faísca” entre os protagonistas do evento, a decorrer no Staples Center, em Los Angeles (EUA).

Na sexta-feira, os dois pugilistas americanos participaram da pesagem que antecede a tão esperada luta. Sem contacto e sem provocações, mas com uma tensão evidente no olhar, os pugilistas ficaram cara a cara pela primeira vez.

Antes de se encararem na pesagem, em Los Angeles, ambos pronunciaram-se sobre a preparação. Em tom cauteloso, evitaram falar de um possível nocaute, a pedido da organização da exibição.

Tyson evitou dizer como imagina que a luta será, mas afirmou que vai tentar bater tão forte como antes.

“Eu não faço ideia de como vai ser. Eu vou subir ali e ver o que vai acontecer. Vai ser divertido. Eu sou um lutador, ele é um lutador. Vamos trocar alguns socos e ver o que vai acontecer”, disse.

O pugilista falou sobre seus excessos no passado. "Eu saía de casa às 9 horas da manhã e voltava às 9 horas da manhã do dia seguinte", disse, acrescentando ter aprendido com seus erros.

A lenda do boxe mundial também falou do processo de mudança de físico até a luta em que perdeu 42 kg em cinco meses.

Já Roy Jones voltou a afirmar que pretende prolongar seu retorno aos ringues.

Admitiu, também, que planeja desafiar Anderson Silva para uma luta de boxe caso se saia bem contra Tyson, confirmando o que seu treinador disse.

Afastou a possibilidade de o evento ser apenas uma exibição e afirmou que tanto ele quanto o adversário levaram a preparação a sério.

Roy Jones falou sobre as dificuldades de subir aos ringues aos 51 anos, admitindo sentir dores que não sentia quando ainda lutava profissionalmente.

Segundo à imprensa internacional, o regresso aos ringues daquele que é considerado um dos maiores atletas do boxe mundial pode render para os seus bolsos cerca de 10 milhões de dólares.

Mas Tyson, 54 anos de idade, também já comentou à imprensa que pretende doar o valor que receber pela luta, já que seu objectivo e ajudar pessoas necessitadas, aliado ao prazer de voltar ao ringue.

Histórico

Fora dos ringues, coleciona polémicas e já foi preso por estupro, mas o adolescente problemático se transformou em uma lenda do boxe.

Com apenas 20 anos, tornou-se o mais jovem campeão mundial dos pesos pesados, tendo construído uma carreira impressionante ao longo dos anos.

Foram 58 lutas, 50 vitórias e 44 delas por nocaute. Mas a trajetória do pugilista também foi marcada por muitas confusões, polémicas e crimes.

Em 1992 foi condenado a seis anos de prisão por abusar sexualmente da miss Desiree Washington. Cumpriu metade da pena e foi solto em Março de 1995, devido ao bom comportamento.

Após isto, Mike Tyson voltou a lutar e a vencer. Pouco tempo depois, em 1997, protagonizou um dos episódios mais agressivos da história do boxe ao morder a orelha de Holyfield durante uma luta, sendo desclassificado e banido por um ano das competições.

Fora dos ringues, continuou tendo passagens pela polícia por acusações de agressões e posse de drogas. Um desses episódios foi no Brasil, em 2005, quando agrediu um cinegrafista e foi detido.

Naquele mesmo ano, depois de duas derrotas, se aposentou do boxe.

Agora, 15 anos depois, Tyson está prestes a retornar aos ringues, na luta contra Roy Jones Jr, durante a noite deste sábado.

Covid -19 retira espectáculo do combate
 
Por conta da pandemia do coronavírus, a tela de proteção impediu qualquer “faísca” entre os protagonistas do evento, a decorrer no Staples Center, em Los Angeles (EUA).

Na sexta-feira, os dois pugilistas americanos participaram da pesagem que antecede a tão esperada luta. Sem contacto e sem provocações, mas com uma tensão evidente no olhar, os pugilistas ficaram cara a cara pela primeira vez.

Antes de se encararem na pesagem, em Los Angeles, ambos pronunciaram-se sobre a preparação. Em tom cauteloso, evitaram falar de um possível nocaute, a pedido da organização da exibição.

Tyson evitou dizer como imagina que a luta será, mas afirmou que vai tentar bater tão forte como antes.

“Eu não faço ideia de como vai ser. Eu vou subir ali e ver o que vai acontecer. Vai ser divertido. Eu sou um lutador, ele é um lutador. Vamos trocar alguns socos e ver o que vai acontecer”, disse.

O pugilista falou sobre seus excessos no passado. "Eu saía de casa às 9 horas da manhã e voltava às 9 horas da manhã do dia seguinte", disse, acrescentando ter aprendido com seus erros.

A lenda do boxe mundial também falou do processo de mudança de físico até a luta em que perdeu 42 kg em cinco meses.

Já Roy Jones voltou a afirmar que pretende prolongar seu retorno aos ringues.

Admitiu, também, que planeja desafiar Anderson Silva para uma luta de boxe caso se saia bem contra Tyson, confirmando o que seu treinador disse.

Afastou a possibilidade de o evento ser apenas uma exibição e afirmou que tanto ele quanto o adversário levaram a preparação a sério.

Roy Jones falou sobre as dificuldades de subir aos ringues aos 51 anos, admitindo sentir dores que não sentia quando ainda lutava profissionalmente.