Burocracia inviabiliza presença de Yanick no Rwanda

  • Equipa Principal de Basquetebol do Petro de Luanda
Luanda – Problemas burocráticos inviabilizaram a integração do poste Yanick Moreira na Selecção Nacional de basquetebol, que inicia, quarta-feira, em Kigali (Rwanda), a disputa da janela de qualificação ao Afrobasket' 2021.

O jogador do AEK de Atenas (Grécia) comprou, inclusive, o bilhete de passagem, mas situações burocráticas impediram-no de integrar o conjunto nacional, que se estreia diante de Moçambique.

Esta informação foi prestada pelo presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Moniz Silva, em declarações à Rádio 5.

Eleito domingo (22) para o cargo, o responsável explicou que conversou (por telefone) com o jogador e ficou claro que não faltou vontade da parte do atleta, que até se antecipou na compra do bilhete de passagem para chegar ao país em tempo útil.

Disse que Yanick, 29 anos de idade, mostrou-se pronto a responder às convocatórias da Selecção Nacional, sempre que for chamado.

Para esta fase da prova, que termina dia 27, Angola defronta ainda as congéneres do Quénia e Senegal (grupo B).

Sem Yanick (2,11 m), o extremo base Jacques da Conceição é o único integrante não “petrolífero”.

O Petro de Luanda vai representar o país na prova. A sua indicação decorre do facto, segundo a FAB, de ser a formação com maior número de treinos, uma vez que o arranque da época tem sido dificultado devido à Covid-19.

Deve-se também ao facto de ser o clube angolano que irá disputar a inédita Liga Africana de clubes, justamente no mesmo palco (Rwanda).

Constituição da Selecção Nacional, liderada por José Neto

Joaquim Pedro, Childe Dundão, Carlos Morais, José António, Olímpio Cipriano, Gerson Gonçalves, Melvyn da Silva, Leonel Paulo, Aboubakar Gakou, Jone Pedro, Valdelício Joaquim e Jacques da Conceição (Galitos de Portugal).

 

O jogador do AEK de Atenas (Grécia) comprou, inclusive, o bilhete de passagem, mas situações burocráticas impediram-no de integrar o conjunto nacional, que se estreia diante de Moçambique.

Esta informação foi prestada pelo presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Moniz Silva, em declarações à Rádio 5.

Eleito domingo (22) para o cargo, o responsável explicou que conversou (por telefone) com o jogador e ficou claro que não faltou vontade da parte do atleta, que até se antecipou na compra do bilhete de passagem para chegar ao país em tempo útil.

Disse que Yanick, 29 anos de idade, mostrou-se pronto a responder às convocatórias da Selecção Nacional, sempre que for chamado.

Para esta fase da prova, que termina dia 27, Angola defronta ainda as congéneres do Quénia e Senegal (grupo B).

Sem Yanick (2,11 m), o extremo base Jacques da Conceição é o único integrante não “petrolífero”.

O Petro de Luanda vai representar o país na prova. A sua indicação decorre do facto, segundo a FAB, de ser a formação com maior número de treinos, uma vez que o arranque da época tem sido dificultado devido à Covid-19.

Deve-se também ao facto de ser o clube angolano que irá disputar a inédita Liga Africana de clubes, justamente no mesmo palco (Rwanda).

Constituição da Selecção Nacional, liderada por José Neto

Joaquim Pedro, Childe Dundão, Carlos Morais, José António, Olímpio Cipriano, Gerson Gonçalves, Melvyn da Silva, Leonel Paulo, Aboubakar Gakou, Jone Pedro, Valdelício Joaquim e Jacques da Conceição (Galitos de Portugal).