Candidato à presidência da AIDA prioriza formação dos associados

  • Luís Caetano, Jornalista
Huambo - O candidato da lista B à presidência da Associação de Imprensa Desportiva de Angola (AIDA), Luís Caetano, vai priorizar, caso seja eleito, ao longo do seu mandato de quatro anos, a formação permanente dos associados, soube hoje, a ANGOP.

Luís Caetano, profissional da Televisão Pública de Angola, concorre ao cadeirão máximo da AIDA, fundada há mais de 20 anos, com Honorato Silva, líder da lista A, para a substituição de António Ferreira “Aleluia” (falecido).

Ao falar à imprensa, no final do acto de apresentação do seu programa eleitoral à população votante da província do Huambo, referiu que o seu grande desafio é elevar os conhecimentos e as competências técnicas dos profissionais, no sentido de se melhorar cada vez mais a qualidade do jornalismo desportivo prestado no país.

Nesta conformidade, avançou que serão realizadas acções formativas a todos os níveis, desde as técnicas de redacção, de cobertura jornalística, bem como da ética profissional.

Para a concretização deste desiderato, informou constar no seu programa o estabelecimento de parcerias com as instituições afins, centros de formação profissional do país e do estrangeiro, a fim de se promover a capacitação permanente dos profissionais.

Luís Caetano destacou ainda como acções do seu programa, caso seja eleito, a legalização da AIDA, a actualização dos seus estatutos, a institucionalização da carteira profissional e do prémio nacional de jornalismo desportivo, para além da inclusão do género feminino e o reforço da parceria com as associações desportivas, com o objectivo de facilitar a classe no exercício da actividade.

Dirigindo-se à população votante, prometeu trabalhar nestes e noutros projectos, com o objectivo de devolver à associação e à classe do país, a dignidade merecida.

A campanha eleitoral começou no dia 19 deste mês e termina a 01 de Abril. Dois dias depois terá lugar o acto que vai eleger o novo presidente da AIDA.

As eleições na Associação de Imprensa Desportiva Angolana (AIDA) realizam-se 24 anos depois do primeiro pleito que elegeu Manuel Madureira, da Rádio Nacional de Angola, como presidente da instituição.

Criada em 1997 para convergir os jornalistas desportivos angolanos em torno de um mesmo objectivo, o órgão foi, no entanto, liderado pouco tempo depois por António Ferreira "aleluia" (Jornal de Angola), falecido em Junho de 2020.

 

 

 

 

 

Luís Caetano, profissional da Televisão Pública de Angola, concorre ao cadeirão máximo da AIDA, fundada há mais de 20 anos, com Honorato Silva, líder da lista A, para a substituição de António Ferreira “Aleluia” (falecido).

Ao falar à imprensa, no final do acto de apresentação do seu programa eleitoral à população votante da província do Huambo, referiu que o seu grande desafio é elevar os conhecimentos e as competências técnicas dos profissionais, no sentido de se melhorar cada vez mais a qualidade do jornalismo desportivo prestado no país.

Nesta conformidade, avançou que serão realizadas acções formativas a todos os níveis, desde as técnicas de redacção, de cobertura jornalística, bem como da ética profissional.

Para a concretização deste desiderato, informou constar no seu programa o estabelecimento de parcerias com as instituições afins, centros de formação profissional do país e do estrangeiro, a fim de se promover a capacitação permanente dos profissionais.

Luís Caetano destacou ainda como acções do seu programa, caso seja eleito, a legalização da AIDA, a actualização dos seus estatutos, a institucionalização da carteira profissional e do prémio nacional de jornalismo desportivo, para além da inclusão do género feminino e o reforço da parceria com as associações desportivas, com o objectivo de facilitar a classe no exercício da actividade.

Dirigindo-se à população votante, prometeu trabalhar nestes e noutros projectos, com o objectivo de devolver à associação e à classe do país, a dignidade merecida.

A campanha eleitoral começou no dia 19 deste mês e termina a 01 de Abril. Dois dias depois terá lugar o acto que vai eleger o novo presidente da AIDA.

As eleições na Associação de Imprensa Desportiva Angolana (AIDA) realizam-se 24 anos depois do primeiro pleito que elegeu Manuel Madureira, da Rádio Nacional de Angola, como presidente da instituição.

Criada em 1997 para convergir os jornalistas desportivos angolanos em torno de um mesmo objectivo, o órgão foi, no entanto, liderado pouco tempo depois por António Ferreira "aleluia" (Jornal de Angola), falecido em Junho de 2020.