Clássico 81 entre Petro e D’Agosto no centro da 24ª jornada

  • Petro X 1D'Agosto
Luanda - Empatados a 51 pontos no topo da classificação, as equipas do Petro de Luanda e 1º de Agosto protagonizam sábado, no Estádio 11 de Novembro, na capital do país, o 81º clássico da história, num confronto cujo domínio nos últimos anos tende para os rubro-negro.

O jogo é referente à 24ª jornada do campeonato nacional de futebol da primeira divisão, Girabola2021, e pela postura ascendente dos petrolíferos nesta fase do campeonato (cinco triunfos seguidos) prevê-se uma partida equilibrada, onde a capacidade técnico-individual das principais referências, dos plantéis, poderá sobrepor-se ao colectivo.

Job, Tiago Azulão, Isac Mensah, Yano e companheiros estão ávidos para contrariar os registos desfavoráveis de três derrotas (0-1, 0-1 e 0-2), dois empates, sem golos, e uma partida ganha (1-0) nos seis encontros mais recentes entre ambos, relativo às épocas 2018, 2018/19, 2019/20 e primeira volta da presente temporada (2020/21).

Na busca do 33º triunfo sobre o “arqui-rival” e consequente liderança isolada, Bodunha e comandados recebem o adversário (às 16 horas) com a moral alta, mercê dos 3-1 da jornada anterior sobre o Progresso do Sambizanga, ao passo que os “militares” procuram reerguer-se do recente empate (0-0), com “sabor a derrota”, frente ao FC Bravos do Maquis.

Em campo estará o ataque mais concretizador do Girabola2021 (Petro com 39 golos) e a segunda defesa menos batida (1º de Agosto/13 sofridos), assim como o melhor marcador, o petrolífero Tiago Azulão (13), e o segundo, Mabululo, com 10 tentos.

O clássico acontece numa altura em que há restrição do público aos estádios, na província de Luanda, devido à pandemia da Covid-19.

Em 80 jogos, o 1º de Agosto venceu 26 partidas, perdeu 32 e empatou 22 ante o Petro, que comanda o palmarés do Girabola com 15 títulos. Os militares têm 13 campeonatos.

Mas a 24ª jornada não se restringe a esse encontro.

Ainda no sábado, a Baixa de Cassanje (14º/18) defronta o Sagrada Esperança (3º/49), o Bravos do Maquis (4º/40) terá pela frente o Recreativo do Libolo (10º/26), o Interclube (5º/39) mede forças com o Cuando Cubango FC (13º/22) e o Sporting de Cabinda (12º/23) joga ante o Recreativo da Caála (6º/32).

No domingo o Progresso Sambizanga (11º/23) defronta a Académica do Lobito (8º/28), a Santa Rita de Cássia (15º/18) joga com o Desportivo da Huíla (9º/27) e o Wiliete de Benguela (7º/30) ante o Ferrovia do Huambo (16º/9).

 

O jogo é referente à 24ª jornada do campeonato nacional de futebol da primeira divisão, Girabola2021, e pela postura ascendente dos petrolíferos nesta fase do campeonato (cinco triunfos seguidos) prevê-se uma partida equilibrada, onde a capacidade técnico-individual das principais referências, dos plantéis, poderá sobrepor-se ao colectivo.

Job, Tiago Azulão, Isac Mensah, Yano e companheiros estão ávidos para contrariar os registos desfavoráveis de três derrotas (0-1, 0-1 e 0-2), dois empates, sem golos, e uma partida ganha (1-0) nos seis encontros mais recentes entre ambos, relativo às épocas 2018, 2018/19, 2019/20 e primeira volta da presente temporada (2020/21).

Na busca do 33º triunfo sobre o “arqui-rival” e consequente liderança isolada, Bodunha e comandados recebem o adversário (às 16 horas) com a moral alta, mercê dos 3-1 da jornada anterior sobre o Progresso do Sambizanga, ao passo que os “militares” procuram reerguer-se do recente empate (0-0), com “sabor a derrota”, frente ao FC Bravos do Maquis.

Em campo estará o ataque mais concretizador do Girabola2021 (Petro com 39 golos) e a segunda defesa menos batida (1º de Agosto/13 sofridos), assim como o melhor marcador, o petrolífero Tiago Azulão (13), e o segundo, Mabululo, com 10 tentos.

O clássico acontece numa altura em que há restrição do público aos estádios, na província de Luanda, devido à pandemia da Covid-19.

Em 80 jogos, o 1º de Agosto venceu 26 partidas, perdeu 32 e empatou 22 ante o Petro, que comanda o palmarés do Girabola com 15 títulos. Os militares têm 13 campeonatos.

Mas a 24ª jornada não se restringe a esse encontro.

Ainda no sábado, a Baixa de Cassanje (14º/18) defronta o Sagrada Esperança (3º/49), o Bravos do Maquis (4º/40) terá pela frente o Recreativo do Libolo (10º/26), o Interclube (5º/39) mede forças com o Cuando Cubango FC (13º/22) e o Sporting de Cabinda (12º/23) joga ante o Recreativo da Caála (6º/32).

No domingo o Progresso Sambizanga (11º/23) defronta a Académica do Lobito (8º/28), a Santa Rita de Cássia (15º/18) joga com o Desportivo da Huíla (9º/27) e o Wiliete de Benguela (7º/30) ante o Ferrovia do Huambo (16º/9).