FAX minimiza fraca prestação de Sérgio Miguel no mundial da Rússia

  • Sergio Miguel valoriza participação no mundial de xadrez
Luanda – O vice-presidente da Federação Angolana de Xadrez (FAX), António Assis, minimizou hoje (terça-feira), na capital do país, a fraca prestação do Mestre Fide, Sérgio Miguel, no Campeonato do Mundo, que decorre em Sóchi, na Rússia.

Ao fazer o balanço da participação no evento do xadrezista com melhor pontuação em Angola (Elo 2.286), o responsável falou à ANGOP que sabiam das dificuldades que o atleta iria encontrar, e que o objectivo era aumentar a pontuação.

Segundo o responsável, um empate com um grande mestre seria o suficiente para o representante nacional obter 50 pontos, o que não aconteceu.

Na primeira eliminatória, Sérgio Miguel perdeu duas vezes com o Grande Mestre (GM) Ucraniano, Ivan Sardinha, tendo sido eliminado prematuramente.

Já o MF Sérgio Miguel afirmou que, apesar de não ter alcançado o objectivo, foi importante ganhar experiência ainda mais por ter defrontado um adversário com pontuação superior no ranking internacional (2645) e que já foi campeão mundial por três vezes.

O bicampeão absoluto (2018 e 2019), disse que o objectivo agora é a conquista do campeonato nacional, a disputar-se este mês, na província da Huíla.

O campeonato do mundo decorre até ao próximo dia 8 de Agosto. Conta com a participação de mais de 200 atletas em representação de 91 países.

O grande mestre Radjabov Teimuor, do Arzebaijão, é o detentor do título.

 

Ao fazer o balanço da participação no evento do xadrezista com melhor pontuação em Angola (Elo 2.286), o responsável falou à ANGOP que sabiam das dificuldades que o atleta iria encontrar, e que o objectivo era aumentar a pontuação.

Segundo o responsável, um empate com um grande mestre seria o suficiente para o representante nacional obter 50 pontos, o que não aconteceu.

Na primeira eliminatória, Sérgio Miguel perdeu duas vezes com o Grande Mestre (GM) Ucraniano, Ivan Sardinha, tendo sido eliminado prematuramente.

Já o MF Sérgio Miguel afirmou que, apesar de não ter alcançado o objectivo, foi importante ganhar experiência ainda mais por ter defrontado um adversário com pontuação superior no ranking internacional (2645) e que já foi campeão mundial por três vezes.

O bicampeão absoluto (2018 e 2019), disse que o objectivo agora é a conquista do campeonato nacional, a disputar-se este mês, na província da Huíla.

O campeonato do mundo decorre até ao próximo dia 8 de Agosto. Conta com a participação de mais de 200 atletas em representação de 91 países.

O grande mestre Radjabov Teimuor, do Arzebaijão, é o detentor do título.