Fórum sobre desporto recomenda pensão para atletas

  • Ana Paula do Sacramento Neto, Ministra da Juventude e Desportos
Luanda – Os participantes do 1º Fórum sobre Profissionalização do Desporto em Angola defenderam, esta terça, a institucionalização de seguro e a criação de um fundo desportivo de pensões, visando melhor integração social dos atletas após a carreira.

Reunidos em Luanda para analisar, entre outros, aspectos ligados, sobretudo, ao futuro da classe, agentes do sector e antigos praticantes recomendaram o alargamento da idade de acesso à função pública para ex-desportistas, a exemplo dos ex-militares.

O encontro foi aberto pela ministra da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), Teresa Dias, e anuiu ainda o regular da actividade entre agentes desportivos e empresários, assim como a celebração de convenções colectivas.

Segundo os participantes, urge a necessidade de se trabalhar na elaboração de políticas públicas voltadas a melhoria de vida dos atletas, tendo em conta, entre outros, o desgaste físico e a curta duração de carreira destes.

Recomendaram maior aposta na formação, por formas a que os desportistas explorem também as oportunidades do mercado em outras áreas de actividade.

O fórum propõe que se regulamente, especificamente para o desporto, a implementação da Lei do Mecenato, sendo que, apesar da existência desta - noutros sectores da sociedade -, na área desportiva não se faz sentir.

Adequar as propostas de projectos a financiar, criar comissão de avaliação dos mesmos e um banco de dados dos beneficiários da referida lei são algumas da intenções adiantadas pelos presentes.

O encontro abordou temas relacionados com o regime jurídico do contrato de trabalho no âmbito do desporto profissional e sponsorização.

No final, a titular da pasta dos Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, prometeu o engajamento do pelouro na resolução de questões ligadas a protecção e dignidade social dos desportistas e os alertou no sentido de terem maior atenção na celebração de contratos, ou seja, precaverem-se de situações desfavoráveis.

 

 

 

Reunidos em Luanda para analisar, entre outros, aspectos ligados, sobretudo, ao futuro da classe, agentes do sector e antigos praticantes recomendaram o alargamento da idade de acesso à função pública para ex-desportistas, a exemplo dos ex-militares.

O encontro foi aberto pela ministra da Administração Pública Trabalho e Segurança Social (MAPTESS), Teresa Dias, e anuiu ainda o regular da actividade entre agentes desportivos e empresários, assim como a celebração de convenções colectivas.

Segundo os participantes, urge a necessidade de se trabalhar na elaboração de políticas públicas voltadas a melhoria de vida dos atletas, tendo em conta, entre outros, o desgaste físico e a curta duração de carreira destes.

Recomendaram maior aposta na formação, por formas a que os desportistas explorem também as oportunidades do mercado em outras áreas de actividade.

O fórum propõe que se regulamente, especificamente para o desporto, a implementação da Lei do Mecenato, sendo que, apesar da existência desta - noutros sectores da sociedade -, na área desportiva não se faz sentir.

Adequar as propostas de projectos a financiar, criar comissão de avaliação dos mesmos e um banco de dados dos beneficiários da referida lei são algumas da intenções adiantadas pelos presentes.

O encontro abordou temas relacionados com o regime jurídico do contrato de trabalho no âmbito do desporto profissional e sponsorização.

No final, a titular da pasta dos Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, prometeu o engajamento do pelouro na resolução de questões ligadas a protecção e dignidade social dos desportistas e os alertou no sentido de terem maior atenção na celebração de contratos, ou seja, precaverem-se de situações desfavoráveis.