1.º de Agosto já no país e sem casos positivos de Covid-19

  • Jogadores do 1.º de Agosto testam negativo à Covid-19
Luanda – O 1.º de Agosto regressou hoje (sexta-feira) ao país, proveniente da Tanzânia, sem qualquer teste positivo de Covid-19, de acordo com um comunicado da agremiação “rubro-negra”.

Segundo o documento, o plantel cumpriu com os protocolos sanitários vigentes no país, realizando testes de despistagem que tiveram resultados negativos.

O clube “militar” acusa a formação tanzaniana de cometer fraude nos resultados dos testes a Covid-19, efectuados no plantel do representante angolano durante os jogos da primeira e segunda mãos da última eliminatória da Taça CAF.

Segundo o vice-presidente para o futebol do clube, Paulo Magueijo, a eliminação da equipa deveu-se a uma “táctica” usada pelo adversário, que afastou atletas preponderantes por alegados testes positivos de Covid-19.

“Foi uma eliminação dura. Antes do desafio acompanhamos com muita estranheza acções que culminaram com resultados de falsos testes positivos dos nossos jogadores, que antes eram negativos. Foi tudo uma farsa e pura mentira, uma vez que estávamos atentos ao estado epidemiológico dos nossos jogadores”, explicou, no site do clube.

Informou que, face ao sucedido, a direcção do clube, ainda no território tanzaniano, recorreu a outros testes em instituições oficiais que confirmaram a negatividade dos testados, contrariando os supostos resultados apresentados pelo agente local.

Deste modo, o 1º de Agosto reuniu todas as provas e apresentou-as à CAF como protesto, frisou a fonte. A equipa perdeu o jogo da primeira mão por 2-6 e venceu o segundo por 3-1, resultado, porém, insuficiente para evitar a eliminação.

Bobó, Mabululu, Mário, Neblú e Bonifácio (na primeira mão) e Macaia e Zini (na segunda) foram os atletas que alegadamente testaram positivo.

Após o regresso ao país, em cumprimento do acordado com o Ministério da Saúde, a equipa entrou em regime de bolha sanitária, na sua cidade desportiva, e na próxima segunda-feira defronta, no estádio 11 de Novembro, o Sporting de Cabinda, para a 13ª jornada do campeonato nacional.

Depois do duelo com os "leões" de Cabinda, a equipa o D'Agosto regressa à  bolha, até concluir a quarentena estipulada pelo Ministério da Saúde. Findo o prazo, os jogadores serão submetidos a novos testes e, caso se mantenham negativos, terão “luz verde”  para retomarem a vida normal.

 

 

Segundo o documento, o plantel cumpriu com os protocolos sanitários vigentes no país, realizando testes de despistagem que tiveram resultados negativos.

O clube “militar” acusa a formação tanzaniana de cometer fraude nos resultados dos testes a Covid-19, efectuados no plantel do representante angolano durante os jogos da primeira e segunda mãos da última eliminatória da Taça CAF.

Segundo o vice-presidente para o futebol do clube, Paulo Magueijo, a eliminação da equipa deveu-se a uma “táctica” usada pelo adversário, que afastou atletas preponderantes por alegados testes positivos de Covid-19.

“Foi uma eliminação dura. Antes do desafio acompanhamos com muita estranheza acções que culminaram com resultados de falsos testes positivos dos nossos jogadores, que antes eram negativos. Foi tudo uma farsa e pura mentira, uma vez que estávamos atentos ao estado epidemiológico dos nossos jogadores”, explicou, no site do clube.

Informou que, face ao sucedido, a direcção do clube, ainda no território tanzaniano, recorreu a outros testes em instituições oficiais que confirmaram a negatividade dos testados, contrariando os supostos resultados apresentados pelo agente local.

Deste modo, o 1º de Agosto reuniu todas as provas e apresentou-as à CAF como protesto, frisou a fonte. A equipa perdeu o jogo da primeira mão por 2-6 e venceu o segundo por 3-1, resultado, porém, insuficiente para evitar a eliminação.

Bobó, Mabululu, Mário, Neblú e Bonifácio (na primeira mão) e Macaia e Zini (na segunda) foram os atletas que alegadamente testaram positivo.

Após o regresso ao país, em cumprimento do acordado com o Ministério da Saúde, a equipa entrou em regime de bolha sanitária, na sua cidade desportiva, e na próxima segunda-feira defronta, no estádio 11 de Novembro, o Sporting de Cabinda, para a 13ª jornada do campeonato nacional.

Depois do duelo com os "leões" de Cabinda, a equipa o D'Agosto regressa à  bolha, até concluir a quarentena estipulada pelo Ministério da Saúde. Findo o prazo, os jogadores serão submetidos a novos testes e, caso se mantenham negativos, terão “luz verde”  para retomarem a vida normal.