Sul-africano "sozinho" na corrida pela presidência da CAF

Luanda - O magnata sul-africano da mineração, Patrice Motsepe, de 59 anos de idade, é o único candidato à presidência da Confederação Africana de Futebol (CAF), cuja eleição decorrerá na sexta-feira, em Marrocos, após a desistência dos restantes três concorrentes.

Em substituição do malgaxe Ahmad Ahmad, eleito presidente da CAF há quatro anos, Patrice Motsepe apresenta-se isolado, depois das desistências do senegalês Augustin Senghor, o mauritaniano Ahmed Yahya e o ivoirense Jacques Anouma.

Após o pleito, o sul-africano será confirmado como o oitavo presidente da CAF, rendendo o malgaxe, Ahmad Ahmad, impedido de se recandidatar por acusação de violar os artigos 15 (dever de lealdade), 20 (aceitação e distribuição de prendas ou outras vantagens), 25 (abuso de poder) e 28 (desvio de fundos).

Ahmad Ahmad, de 61 anos, ex-treinador de futebol, antigo secretário de Estado do Desporto e ministro das Pescas do Madagáscar cumpriu apenas um mandato, em substituição do camaronês Issa Hayatou.   

Em 2019, o antigo Secretário-Geral da CAF, Amr Fahmy, falecido, enviou uma carta à FIFA a acusar o Presidente Ahmad de corrupção e de assédio sexual.

Durante este período de suspensão de Ahmad Ahmad, lidera a CAF interinamente o primeiro vice-presidente, Constant Omari.

 

Em substituição do malgaxe Ahmad Ahmad, eleito presidente da CAF há quatro anos, Patrice Motsepe apresenta-se isolado, depois das desistências do senegalês Augustin Senghor, o mauritaniano Ahmed Yahya e o ivoirense Jacques Anouma.

Após o pleito, o sul-africano será confirmado como o oitavo presidente da CAF, rendendo o malgaxe, Ahmad Ahmad, impedido de se recandidatar por acusação de violar os artigos 15 (dever de lealdade), 20 (aceitação e distribuição de prendas ou outras vantagens), 25 (abuso de poder) e 28 (desvio de fundos).

Ahmad Ahmad, de 61 anos, ex-treinador de futebol, antigo secretário de Estado do Desporto e ministro das Pescas do Madagáscar cumpriu apenas um mandato, em substituição do camaronês Issa Hayatou.   

Em 2019, o antigo Secretário-Geral da CAF, Amr Fahmy, falecido, enviou uma carta à FIFA a acusar o Presidente Ahmad de corrupção e de assédio sexual.

Durante este período de suspensão de Ahmad Ahmad, lidera a CAF interinamente o primeiro vice-presidente, Constant Omari.