Governante solicita espírito patriótico em Tóquio

  • Parte da Delegação angolana aos Jogos Olímpicoscom a ministra Ana Paula Sacramento(centro)
Luanda - A missão angolana nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, no Japão, deve competir com espírito patriótico, cada representante deve dar o seu melhor, a fim de dignificar o país, sublinhou, esta quinta-feira, a ministra dos Desportos, Ana Paula do Sacramento.

Ao falar à Rádio-5, aquando da chegada a capital japonesa, na última madrugada, a responsável explicou não ter sido exigido resultados a delegação, sendo que a competição é disputada num período atípico, por conta da Covid-19, mas pede aos atletas para que dêem o máximo.

“Estamos conscientes que vão defrontar adversários muito fortes e pelo que se prepararam vão procurar fazer o seu melhor”, disse, reconhecendo as dificuldades enfrentadas durante a preparação.

Angola participa nos Jogos Olímpicos com a selecção feminina de andebol, além das modalidades individuais em que tem dois atletas de vela, igual número na natação, um no atletismo e outro no judo.

Trata-se da 10ª participação do país, desde a estreia em 1980, em Moscovo. Seguiram-se as provas de Seul (1988), Barcelona (1992), Atlanta (1996), Sidney (2000), Atenas (2004), Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016).

 

Ao falar à Rádio-5, aquando da chegada a capital japonesa, na última madrugada, a responsável explicou não ter sido exigido resultados a delegação, sendo que a competição é disputada num período atípico, por conta da Covid-19, mas pede aos atletas para que dêem o máximo.

“Estamos conscientes que vão defrontar adversários muito fortes e pelo que se prepararam vão procurar fazer o seu melhor”, disse, reconhecendo as dificuldades enfrentadas durante a preparação.

Angola participa nos Jogos Olímpicos com a selecção feminina de andebol, além das modalidades individuais em que tem dois atletas de vela, igual número na natação, um no atletismo e outro no judo.

Trata-se da 10ª participação do país, desde a estreia em 1980, em Moscovo. Seguiram-se as provas de Seul (1988), Barcelona (1992), Atlanta (1996), Sidney (2000), Atenas (2004), Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016).