Governo trabalha para protecção do atleta pós carreira - ministra

  • Debatida protecção do atleta pós carreira
Luanda – A criação de instrumentos jurídicos de protecção e dignidade social dos desportistas após carreira tem merecido o engajamento do Governo, segundo o ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto.

Ao falar terça-feira no encerramento do 1º Fórum sobre Profissionalização do Desporto em Angola, a titular do sector referiu que só com uma legislação adequada em elaboração se poderá proteger os desportistas de um futuro incerto.

Acrescentou que muitos desportistas são contratados por clubes sem as devidas compensações que permitam salvaguardar a sua posição social pós-carreira, como acontece com outras actividades laborais no país.

 Ana Paula do Sacramento Neto afirmou estar o seu pelouro a trabalhar com o Ministério da Administração Pública Trabalho e Segurança Social para que a carreira do atleta seja protegida.   

“O fórum serviu para despertar a sociedade para o desenvolvimento do desporto em Angola. Estamos a colher contribuições importantes no âmbito da criação de diplomas para a futura protecção dos nossos atletas”, frisou.

Antes, no acto de abertura, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias, destacou a contribuição do desporto na saúde do cidadão, criação de postos de empregos e sustentabilidade financeira dos desportistas.

Considerou o fórum um instrumento importante no quadro do desenvolvimento da saúde física, mental e de integração sociológica e cultural de um país e mesmo para o crescimento da sua economia.

Com a participação de distintos agentes e antigos praticantes, o fórum abordou temas como o Regime Jurídico do Contrato de Trabalho no Âmbito do Desporto Profissional e Sponsorização do Desporto.

Ao falar terça-feira no encerramento do 1º Fórum sobre Profissionalização do Desporto em Angola, a titular do sector referiu que só com uma legislação adequada em elaboração se poderá proteger os desportistas de um futuro incerto.

Acrescentou que muitos desportistas são contratados por clubes sem as devidas compensações que permitam salvaguardar a sua posição social pós-carreira, como acontece com outras actividades laborais no país.

 Ana Paula do Sacramento Neto afirmou estar o seu pelouro a trabalhar com o Ministério da Administração Pública Trabalho e Segurança Social para que a carreira do atleta seja protegida.   

“O fórum serviu para despertar a sociedade para o desenvolvimento do desporto em Angola. Estamos a colher contribuições importantes no âmbito da criação de diplomas para a futura protecção dos nossos atletas”, frisou.

Antes, no acto de abertura, a ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Rodrigues Dias, destacou a contribuição do desporto na saúde do cidadão, criação de postos de empregos e sustentabilidade financeira dos desportistas.

Considerou o fórum um instrumento importante no quadro do desenvolvimento da saúde física, mental e de integração sociológica e cultural de um país e mesmo para o crescimento da sua economia.

Com a participação de distintos agentes e antigos praticantes, o fórum abordou temas como o Regime Jurídico do Contrato de Trabalho no Âmbito do Desporto Profissional e Sponsorização do Desporto.