Petro e 1º de Agosto abrem nacional de hóquei 

  • Partida de hóquei em patins  - Arquivo
Luanda – O Petro de Luanda e o 1º de Agosto protagonizam o jogo de destaque da primeira jornada da 43ª edição do Campeonato Nacional de hóquei em patins sénior masculino, que se disputa na próxima sexta (17 de Setembro), num dos pavilhões de Luanda.

De resultado imprevisível, o desafio vai opor o segundo ao terceiro classificado da prova anterior, realizada apenas em 2019, já que o ano passado não houve, devido à Covid-19.

A equipa da Académica de Luanda é o campeão nacional.      

A ronda inaugural inscreve ainda os encontros Clube Desportivo Geninhos-Grupo Desportivo da Marinha, Clube Desportivo do Exército-Atlético do Namibe e Sagrado Coração de Jesus-Académica Clube de Luanda, segundo o sorteio da Federação Angolana de Patinagem (FAP).

A primeira fase do campeonato vai ser jogada no sistema de todos contra todos, apurando-se para as meias-finais os quatro primeiros classificados.

As meias-finais são disputadas no sistema cruzado. Para se encontrar os finalistas é realizado um "play-off”, a melhor de três jogos.

A final do campeonato disputa-se, igualmente, num "play-off” a melhor de cinco partidas. Do quinto ao oitavo lugar jogam as classificativas.

O vice-presidente desportivo da FAP, Nando Graça, que conduziu o sorteio, garantiu que a direcção da entidade reitora da modalidade vai analisar com os clubes as soluções dos problemas identificados para a disputa da prova.

"As condições estão criadas para o início da prova. A direcção da FAP vai reunir para decidir o que é possível fazer, no sentido de minorar as despesas dos clubes para a participação no Campeonato Nacional”, disse.

Durante o sorteio, os clubes reclamaram os elevados custos do Pavilhão Principal da Cidadela e Arena do Kilamba, tendo optado a maioria para a realização dos jogos no Dream Space, no Kikuxi.

Um jogo nocturno na Cidadela custa 170 mil kwanzas e o diurno 115 mil, ao passo que no Pavilhão Dream Space vale 40 mil kwanzas, independentemente do horário, de acordo com uma nota de imprensa da FAP.  

 

De resultado imprevisível, o desafio vai opor o segundo ao terceiro classificado da prova anterior, realizada apenas em 2019, já que o ano passado não houve, devido à Covid-19.

A equipa da Académica de Luanda é o campeão nacional.      

A ronda inaugural inscreve ainda os encontros Clube Desportivo Geninhos-Grupo Desportivo da Marinha, Clube Desportivo do Exército-Atlético do Namibe e Sagrado Coração de Jesus-Académica Clube de Luanda, segundo o sorteio da Federação Angolana de Patinagem (FAP).

A primeira fase do campeonato vai ser jogada no sistema de todos contra todos, apurando-se para as meias-finais os quatro primeiros classificados.

As meias-finais são disputadas no sistema cruzado. Para se encontrar os finalistas é realizado um "play-off”, a melhor de três jogos.

A final do campeonato disputa-se, igualmente, num "play-off” a melhor de cinco partidas. Do quinto ao oitavo lugar jogam as classificativas.

O vice-presidente desportivo da FAP, Nando Graça, que conduziu o sorteio, garantiu que a direcção da entidade reitora da modalidade vai analisar com os clubes as soluções dos problemas identificados para a disputa da prova.

"As condições estão criadas para o início da prova. A direcção da FAP vai reunir para decidir o que é possível fazer, no sentido de minorar as despesas dos clubes para a participação no Campeonato Nacional”, disse.

Durante o sorteio, os clubes reclamaram os elevados custos do Pavilhão Principal da Cidadela e Arena do Kilamba, tendo optado a maioria para a realização dos jogos no Dream Space, no Kikuxi.

Um jogo nocturno na Cidadela custa 170 mil kwanzas e o diurno 115 mil, ao passo que no Pavilhão Dream Space vale 40 mil kwanzas, independentemente do horário, de acordo com uma nota de imprensa da FAP.