Inter e Petro disputam Taça de Angola 21 anos depois

  • Interclube almeja segunda vitória nas Afrotaças (Arquivo)
  • Petro pode conquistar 16º troféu
Luanda – Com o título do Nacional de Futebol (Girabola´2021) fora de cogitação, o Interclube disputa, esta quinta-feira, a Taça de Angola em futebol diante do Petro de Luanda, numa reedição da final de 2000.

Na partida disputada em 2000, o Petro de Luanda conquistou o ceptro, com vitória por 1-0.

A disputar-se no Estádio "11 de Novembro", às 16h00, os “polícias” farão de tudo para salvar a época, contrariamente aos “petrolíferos”, que perseguem a dobradinha (vencer a Taça de Angola e o Campeonato Nacional).

O Petro ocupa a segunda posição do campeonato com 63 pontos, contra 64 do líder Sagrada Esperança, quando restam três rondas por disputar.

O Interclube é o 5º colocado, com 42 pontos, já sem qualquer hipótese de chegar ao topo.

No jogo, de prognóstico imprevisível, o favoritismo é atribuído ao Petro pelo número de títulos, 11 no total, contra três do Inter, além do bom momento desportivo e anímico. A equipa não perde desde a 18ª jornada do Girabola e ainda venceu o 1º de Agosto, nas meias-finais da Taça (2-0).

Números do Petro na Taça de Angola

Conquistou a competição em 1987, com vitória na final diante do Ferrovia da Huíla (4-1), derrotas em 1990 (1º de Agosto, 0-1) e em 1991 (1º de Agosto, 1-2).

Triunfos em 1992 (1º de Agosto, 3-2), 1993 (ASA, 2-1), 1994 (Independente de Tômbwa, 2-1), 1997 (1º de Agosto, 2-1), 1998 (1º de Agosto, 4-1) e 2000 (Interclube, 1- 0),  em 2002 (Desportivo da Huíla, 3-0), 2012 (Recreativo da Caála, 2-0), 2013 (Desportivo da Huíla, 1-0), perdeu em 2014 (Benfica de Luanda, 0-1) e venceu em 2017 (1º de Agosto, 2-1).

Interclube

O Interclube disputa a sua nona final. Perdeu em 1885 com o Ferrovia do Huíla, 0-2), venceu em 1986 (1º de Agosto, 1-0). Desaires em 1989 (Ferrovia da Huíla, 1-2), 2000 (Petro de Luanda, 0-1), venceu em 2003 (Sagrada Esperança, 4-2 aos penáltis), perdeu em 2005 (ASA, 0-1), em 2010 (ASA, 4-3 aos penáltis) e triunfou em 2011 (1º de Agosto, 4-2 aos penáltis).

Primeiro clássico luandense com espectadores

Interclube e Petro de Luanda protagonizam o primeiro clássico luandense com público, após autorização, no dia 7, de entrada de espectadores nos recintos desportivos, em 25 por cento da sua lotação, por via do Decreto Presidencial sobre o Estado de Calamidade Pública.

Desde Março que os recintos desportivos não eram frequentados por adeptos, medida depois alterada em todas as províncias, excepto em Luanda (dez por cento), e agora alargada para 25% em todo o país, obviamente mantendo-se as medidas de biossegurança, como o distanciamento social e o uso correcto de máscara.

A Federação Angolana de Futebol (FAF) coloca à venda, no dia do desafio, na bilheteira do Estádio "11 de Novembro", a partir das 9h00, cinco mil bilhetes para a bancada geral (Kz 500 cada) e 40 bilhetes para o camarote (Kz dois mil cada).

O Estádio "11 de Novembro" tem capacidade para 50 mil adeptos.

Na partida disputada em 2000, o Petro de Luanda conquistou o ceptro, com vitória por 1-0.

A disputar-se no Estádio "11 de Novembro", às 16h00, os “polícias” farão de tudo para salvar a época, contrariamente aos “petrolíferos”, que perseguem a dobradinha (vencer a Taça de Angola e o Campeonato Nacional).

O Petro ocupa a segunda posição do campeonato com 63 pontos, contra 64 do líder Sagrada Esperança, quando restam três rondas por disputar.

O Interclube é o 5º colocado, com 42 pontos, já sem qualquer hipótese de chegar ao topo.

No jogo, de prognóstico imprevisível, o favoritismo é atribuído ao Petro pelo número de títulos, 11 no total, contra três do Inter, além do bom momento desportivo e anímico. A equipa não perde desde a 18ª jornada do Girabola e ainda venceu o 1º de Agosto, nas meias-finais da Taça (2-0).

Números do Petro na Taça de Angola

Conquistou a competição em 1987, com vitória na final diante do Ferrovia da Huíla (4-1), derrotas em 1990 (1º de Agosto, 0-1) e em 1991 (1º de Agosto, 1-2).

Triunfos em 1992 (1º de Agosto, 3-2), 1993 (ASA, 2-1), 1994 (Independente de Tômbwa, 2-1), 1997 (1º de Agosto, 2-1), 1998 (1º de Agosto, 4-1) e 2000 (Interclube, 1- 0),  em 2002 (Desportivo da Huíla, 3-0), 2012 (Recreativo da Caála, 2-0), 2013 (Desportivo da Huíla, 1-0), perdeu em 2014 (Benfica de Luanda, 0-1) e venceu em 2017 (1º de Agosto, 2-1).

Interclube

O Interclube disputa a sua nona final. Perdeu em 1885 com o Ferrovia do Huíla, 0-2), venceu em 1986 (1º de Agosto, 1-0). Desaires em 1989 (Ferrovia da Huíla, 1-2), 2000 (Petro de Luanda, 0-1), venceu em 2003 (Sagrada Esperança, 4-2 aos penáltis), perdeu em 2005 (ASA, 0-1), em 2010 (ASA, 4-3 aos penáltis) e triunfou em 2011 (1º de Agosto, 4-2 aos penáltis).

Primeiro clássico luandense com espectadores

Interclube e Petro de Luanda protagonizam o primeiro clássico luandense com público, após autorização, no dia 7, de entrada de espectadores nos recintos desportivos, em 25 por cento da sua lotação, por via do Decreto Presidencial sobre o Estado de Calamidade Pública.

Desde Março que os recintos desportivos não eram frequentados por adeptos, medida depois alterada em todas as províncias, excepto em Luanda (dez por cento), e agora alargada para 25% em todo o país, obviamente mantendo-se as medidas de biossegurança, como o distanciamento social e o uso correcto de máscara.

A Federação Angolana de Futebol (FAF) coloca à venda, no dia do desafio, na bilheteira do Estádio "11 de Novembro", a partir das 9h00, cinco mil bilhetes para a bancada geral (Kz 500 cada) e 40 bilhetes para o camarote (Kz dois mil cada).

O Estádio "11 de Novembro" tem capacidade para 50 mil adeptos.