Kangamba reconhece dívida mas em número inferior

  • Arquivo da equipa do Kabuscorp
Luanda – O presidente do Kabuscorp do Palanca, Bento Kangamba, reconheceu esta quarta-feira, em Luanda, a dívida contraída com o técnico português, Paulo Torres, mas discorda dos valores divulgados pela Federação Angolana de Futebol (FAF) de vinte e nove milhões e trezentos mil kwanzas (29.300.000.00), acrescidos de dois mil euros.

O dirigente desportivo afirmou que se trata, na verdade, de Kz catorze milhões (14.000.000.00) por pagar ao treinador luso com quem rescindiu o contrato na época de 2018/19.

Em declarações esta noite à TV Zimbo, Kangamba explicou, no entanto, que a quantia ficou pendente mediante a recusa de Paulo Torres em devolver uma viatura Land Rover, Topo de Gama, orçada em USD cento e um mil (101.000.00).

Referiu que a resolução do caso pode passar por um entendimento entre as partes e reprova a postura do advogado contrário que, alegadamente, não tem cumprido com as tentativas de soluções apresentadas.

Bento Kangamba disse ainda que tomou conhecimento da directiva federativa por via das redes sociais e que em nenhum momento foi notificado pelo órgão reitor do futebol nacional, que estipulou 30 dias para liquidação da dívida.

A nota da FAF, que a ANGOP teve acesso terça-feira, refere que o incumprimento contratual a que incorreu a colectividade do Palanca obriga igualmente ao pagamento, no mesmo período, de Kz seis milhões (6.000.000,00) ao então preparador físico, Rui Oliveira.

Recorde-se que, por conta de um diferendo idêntico envolvendo o brasileiro Rivaldo, contratado em 2012, a FIFA ordenou o pagamento de USD quinhentos mil  (500.000.00), tendo sido por conta de tal situação que a equipa foi relegada para a segunda divisão.

No entanto, o caso foi resolvido depois com o envolvimento da Federação Internacional de futebol (FIFA) e do Tribunal Arbitral do Desporto.  

Conhecido pela sua maneira muito própria de estar no futebol, o presidente do clube do Palanca já esteve em outras polémicas envolvendo situações contratuais, destacando-se o caso do congolês democrático, Trésor Mputu Mabi, e do treinador Romeu Filemon.

Presentemente, o clube do Palanca lidera a série A do zonal de apuramento ao Girabola2021-22, com 18 pontos.

Evoluiu na Taça de Angola, onde foi eliminado pelo Interclube, nas meias-finais com derrota de 2-3.

O dirigente desportivo afirmou que se trata, na verdade, de Kz catorze milhões (14.000.000.00) por pagar ao treinador luso com quem rescindiu o contrato na época de 2018/19.

Em declarações esta noite à TV Zimbo, Kangamba explicou, no entanto, que a quantia ficou pendente mediante a recusa de Paulo Torres em devolver uma viatura Land Rover, Topo de Gama, orçada em USD cento e um mil (101.000.00).

Referiu que a resolução do caso pode passar por um entendimento entre as partes e reprova a postura do advogado contrário que, alegadamente, não tem cumprido com as tentativas de soluções apresentadas.

Bento Kangamba disse ainda que tomou conhecimento da directiva federativa por via das redes sociais e que em nenhum momento foi notificado pelo órgão reitor do futebol nacional, que estipulou 30 dias para liquidação da dívida.

A nota da FAF, que a ANGOP teve acesso terça-feira, refere que o incumprimento contratual a que incorreu a colectividade do Palanca obriga igualmente ao pagamento, no mesmo período, de Kz seis milhões (6.000.000,00) ao então preparador físico, Rui Oliveira.

Recorde-se que, por conta de um diferendo idêntico envolvendo o brasileiro Rivaldo, contratado em 2012, a FIFA ordenou o pagamento de USD quinhentos mil  (500.000.00), tendo sido por conta de tal situação que a equipa foi relegada para a segunda divisão.

No entanto, o caso foi resolvido depois com o envolvimento da Federação Internacional de futebol (FIFA) e do Tribunal Arbitral do Desporto.  

Conhecido pela sua maneira muito própria de estar no futebol, o presidente do clube do Palanca já esteve em outras polémicas envolvendo situações contratuais, destacando-se o caso do congolês democrático, Trésor Mputu Mabi, e do treinador Romeu Filemon.

Presentemente, o clube do Palanca lidera a série A do zonal de apuramento ao Girabola2021-22, com 18 pontos.

Evoluiu na Taça de Angola, onde foi eliminado pelo Interclube, nas meias-finais com derrota de 2-3.