Petro goleia 1º de Agosto e isola-se no comando do Girabola

  • Petro e 1º de Agosto disputam terceiro clássico - Arquivo
Luanda – O Petro de Luanda assumiu, este sábado, o comando do Girabola2021, com 54 pontos, ao golear o seu "arqui-rival", 1º de Agosto, por 3-0, no jogo de cartaz da 24ª jornada do Girabola2021, disputado no Estádio 11 de Novembro.

A superioridade petrolífera cedo começou a desenhar-se, com o “capitão” Job a inaugurar o placar antes do primeiro minuto de jogo, ou seja, aos 47 segundos, facto que obrigou o adversário a subir no terreno e “abrir-se” na busca da igualdade.

Em desvantagem, os “militares” ainda aguentaram-se bem, pelo menos até perto do intervalo, pois faziam pressão alta e por várias vezes levaram perigo à baliza do Petro, defendida por Elber, só que os seus atacantes Mabululo e Melone Dala se revelaram perdulários.

A formação tricolor, no entanto, não se contentava com a vantagem mínima e, além de coesa defensivamente, ripostava com jogadas organizadas, nas quais se evidenciavam, entre outros, Job, Picas e Tiago Azulão, tendo este último, num lance de insistência na área, marcado o segundo golo, aos 45 minutos, resultado com que as equipas saíram para o intervalo.

Quando esperava-se por melhor postura “militar” na segunda parte, do jogo ajuizado pelo internacional Hélder Martins, eis que os comandados de Paulo Duarte baixaram significativamente de rendimento, não sendo capazes de conter as investidas “tricolores”, que aos 49 minutos voltaram a “facturar” por intermédio de Vidinho.

Após cruzamento da direita, o defesa central do Petro cabeceou e a bola bateu no poste, tendo o mesmo rematado, na recarga, para o fundo da baliza aguarda de Neblu, fixando o placar em 3-0.

Daí em diante, o D’Agosto pouco ou nada fez e em consequência baixa para a terceira posição da tabela classificativa com os mesmos 51 pontos. O segundo lugar é agora ocupado pelo Sagrada Esperança (52), que este sábado derrotou a Baixa de Cassanje, por 3-1.

A superioridade petrolífera cedo começou a desenhar-se, com o “capitão” Job a inaugurar o placar antes do primeiro minuto de jogo, ou seja, aos 47 segundos, facto que obrigou o adversário a subir no terreno e “abrir-se” na busca da igualdade.

Em desvantagem, os “militares” ainda aguentaram-se bem, pelo menos até perto do intervalo, pois faziam pressão alta e por várias vezes levaram perigo à baliza do Petro, defendida por Elber, só que os seus atacantes Mabululo e Melone Dala se revelaram perdulários.

A formação tricolor, no entanto, não se contentava com a vantagem mínima e, além de coesa defensivamente, ripostava com jogadas organizadas, nas quais se evidenciavam, entre outros, Job, Picas e Tiago Azulão, tendo este último, num lance de insistência na área, marcado o segundo golo, aos 45 minutos, resultado com que as equipas saíram para o intervalo.

Quando esperava-se por melhor postura “militar” na segunda parte, do jogo ajuizado pelo internacional Hélder Martins, eis que os comandados de Paulo Duarte baixaram significativamente de rendimento, não sendo capazes de conter as investidas “tricolores”, que aos 49 minutos voltaram a “facturar” por intermédio de Vidinho.

Após cruzamento da direita, o defesa central do Petro cabeceou e a bola bateu no poste, tendo o mesmo rematado, na recarga, para o fundo da baliza aguarda de Neblu, fixando o placar em 3-0.

Daí em diante, o D’Agosto pouco ou nada fez e em consequência baixa para a terceira posição da tabela classificativa com os mesmos 51 pontos. O segundo lugar é agora ocupado pelo Sagrada Esperança (52), que este sábado derrotou a Baixa de Cassanje, por 3-1.