Presidente da FAF considera disputa da Supertaça em Benguela "um sucesso"

  • Presidente da FAF, Artur de Almeida e Silva
Benguela – O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, manifestou-se, este domingo, satisfeito pelo sucesso da realização da Supertaça em futebol na província de Benguela.

Falando a jornalistas no final do jogo da Supertaça que opôs o Sagrada Esperança ao Petro de Luanda (4-3), o responsável destacou o empenho da Associação Provincial de Futebol (APF) de Benguela e dos clubes na efectivação da Supertaça fora de Luanda.

Questionado sobre qual será o próximo palco da Supertaça, Artur Almeida e Silva, sem dar detalhes, disse que a FAF vai estudar o assunto em função das propostas que vier a receber das associações provinciais.

É nesse sentido que Artur Almeida e Silva promete que a descontinuidade da disputa da Supertaça em Luanda vai continuar a merecer a atenção da FAF, de forma a abranger todo o território nacional.

Para tal, defende que as províncias interessadas em receber essa competição devem estar preparadas em termos de condições desportivas e logísticas.

Também o antigo capitão da selecção nacional de futebol Pedro Garcia deu nota positiva à estratégia da FAF, mas pensa que a Supertaça não deve limitar-se apenas entre as províncias de Benguela e Luanda, mas deve contemplar todo o país.

Para ele, até os jogos da selecção nacional devem ser descentralizados da capital do país para que os adeptos possam conhecer de perto os jogadores e prestar todo o seu apoio à equipa.

Antes da partida da Supertaça, a primeira que acontece fora de Luanda na história do futebol nacional, a FAF homenageou Pedro Garcia em reconhecimento pelos seus feitos em prol do futebol.

Falando a jornalistas no final do jogo da Supertaça que opôs o Sagrada Esperança ao Petro de Luanda (4-3), o responsável destacou o empenho da Associação Provincial de Futebol (APF) de Benguela e dos clubes na efectivação da Supertaça fora de Luanda.

Questionado sobre qual será o próximo palco da Supertaça, Artur Almeida e Silva, sem dar detalhes, disse que a FAF vai estudar o assunto em função das propostas que vier a receber das associações provinciais.

É nesse sentido que Artur Almeida e Silva promete que a descontinuidade da disputa da Supertaça em Luanda vai continuar a merecer a atenção da FAF, de forma a abranger todo o território nacional.

Para tal, defende que as províncias interessadas em receber essa competição devem estar preparadas em termos de condições desportivas e logísticas.

Também o antigo capitão da selecção nacional de futebol Pedro Garcia deu nota positiva à estratégia da FAF, mas pensa que a Supertaça não deve limitar-se apenas entre as províncias de Benguela e Luanda, mas deve contemplar todo o país.

Para ele, até os jogos da selecção nacional devem ser descentralizados da capital do país para que os adeptos possam conhecer de perto os jogadores e prestar todo o seu apoio à equipa.

Antes da partida da Supertaça, a primeira que acontece fora de Luanda na história do futebol nacional, a FAF homenageou Pedro Garcia em reconhecimento pelos seus feitos em prol do futebol.