Desportivo da Huíla busca avançado para segunda volta

  • Desportivo da Huíla
Lubango – O Desportivo da Huíla lançou-se no mercado local em busca de um avançado e dois laterais para suprir o défice no ataque e nas alas, tendo em vista a segunda volta do Campeonato Nacional de futebol “Girabola 2020/21”.

Segundo o técnico do conjunto, Mário Soares, que prestou tais informações, a opção será o mercado nacional dada as dificuldades financeiras com que se debate o clube.

Outro foco é a questão psicológica, sendo preciso melhorar os níveis de confiança dos jogadores para que acreditem mais nas suas capacidades atléticas e técnicas.

Fazendo um balanço da primeira volta, Mário Soares, que reassumiu o comando da equipa há quatro jornadas, em substituição de André Makanga, afirmou ter sido um período menos bom com a equipa a desperdiçar 30 pontos.

Nessa primeira volta, o Desportivo da Huíla obteve três vitórias, seis empates e seis derrotas.

Em 15 jogos, a equipa teve um saldo de 15 pontos, dez golos marcados e 16 sofridos, enquanto há um ano, no Girabola anulado devido à Covid - 19, terminou na quarta posição com 37 pontos em 22 jogos e já tinha marcado por 24 vezes, com o avançado Leonel (camaronês), que deixou o grémio, a ser o protagonista com 12 tentos.

No grupo actual, dos 10 golos feitos na primeira volta, o principal avançado, o camaronês Emmanuel, marcou duas vezes, igual número para o médio Nuno e apenas um para o outro ponta, Pedro.

A colectividade foi fundada a 7 de Março de 1998. O seu primeiro ano de estreia no Girabola foi em 2002 e a melhor época desportiva no campeonato aconteceu em 2013, em que chegou a sexto lugar.

Neste  ano, foi finalista vencido da Taça de Angola o que lhe habilitou a participar das Afrotaças na época seguinte, tendo chegado aos oitavos de final.

As piores épocas foram em 2003 e  2010 quando desceu de divisão. Em ambas ocasiões terminou em penúltimo lugar.

 

Segundo o técnico do conjunto, Mário Soares, que prestou tais informações, a opção será o mercado nacional dada as dificuldades financeiras com que se debate o clube.

Outro foco é a questão psicológica, sendo preciso melhorar os níveis de confiança dos jogadores para que acreditem mais nas suas capacidades atléticas e técnicas.

Fazendo um balanço da primeira volta, Mário Soares, que reassumiu o comando da equipa há quatro jornadas, em substituição de André Makanga, afirmou ter sido um período menos bom com a equipa a desperdiçar 30 pontos.

Nessa primeira volta, o Desportivo da Huíla obteve três vitórias, seis empates e seis derrotas.

Em 15 jogos, a equipa teve um saldo de 15 pontos, dez golos marcados e 16 sofridos, enquanto há um ano, no Girabola anulado devido à Covid - 19, terminou na quarta posição com 37 pontos em 22 jogos e já tinha marcado por 24 vezes, com o avançado Leonel (camaronês), que deixou o grémio, a ser o protagonista com 12 tentos.

No grupo actual, dos 10 golos feitos na primeira volta, o principal avançado, o camaronês Emmanuel, marcou duas vezes, igual número para o médio Nuno e apenas um para o outro ponta, Pedro.

A colectividade foi fundada a 7 de Março de 1998. O seu primeiro ano de estreia no Girabola foi em 2002 e a melhor época desportiva no campeonato aconteceu em 2013, em que chegou a sexto lugar.

Neste  ano, foi finalista vencido da Taça de Angola o que lhe habilitou a participar das Afrotaças na época seguinte, tendo chegado aos oitavos de final.

As piores épocas foram em 2003 e  2010 quando desceu de divisão. Em ambas ocasiões terminou em penúltimo lugar.