“Mostramos que não somos inferiores” - Marcos Chivinda

  • Kabuscorp esteve próximo da final da Taça de Angola
Dundo - O técnico do Kabuscorp do Palanca, Marcos Chivinda, afirmou nesta quarta-feira que o seu conjunto mostrou que não é inferior ao Sagrada Esperança, apontando a disciplina, determinação e crença como o motivo da vitória esta quarta-feira, em jogo dos quartos-de-final da Taça de Angola.

Após triunfo de 6-4 aos penáltes (1-1 no tempo regulamentar) que qualificou às meias-finais, disse que o seu conjunto foi ao Dundo (Lunda Norte) com a “lição bem estudada” para contrariar a qualidade do adversário, segundo colocado do Campeonato Nacional, com 55 pontos.

“Nós viemos com a lição bem estudada. Sabíamos que seria difícil jogar contra o Sagrada porque tem qualidade, mas que não era impossível passar à próxima fase da competição”, sublinhou o técnico em declarações à imprensa.

Marcos Chivinda reiterou que o objectivo da equipa é o regresso ao Campeonato Nacional (Girabola), além de marcar presença na final da Taça de Angola.

Já o treinador do Sagrada Esperança, Roque Sapiri, disse que a eliminação do conjunto não é motivo para desespero, porque ainda resta o Girabola2020-21, onde ambiciona classificar-se entre os três primeiros lugares.

Sobre a derrota, apontou as falhas de marcação e falta de eficácia na finalização como principais causas.

Disse que até a expulsão do médio Victoriano, aos 39 minutos, o seu conjunto dominava o jogo, criou inúmeras oportunidades de golos, mas não marcou.

”Sofremos o golo numa altura em que tínhamos o jogo controlado e na marcação das grandes penalidades não fomos eficientes como a equipa adversária”, lamentou.

Com a vitória, o Kabuscorp do Palanca defronta o Interclube nas meias-finais, no dia 6 de Julho.

Após triunfo de 6-4 aos penáltes (1-1 no tempo regulamentar) que qualificou às meias-finais, disse que o seu conjunto foi ao Dundo (Lunda Norte) com a “lição bem estudada” para contrariar a qualidade do adversário, segundo colocado do Campeonato Nacional, com 55 pontos.

“Nós viemos com a lição bem estudada. Sabíamos que seria difícil jogar contra o Sagrada porque tem qualidade, mas que não era impossível passar à próxima fase da competição”, sublinhou o técnico em declarações à imprensa.

Marcos Chivinda reiterou que o objectivo da equipa é o regresso ao Campeonato Nacional (Girabola), além de marcar presença na final da Taça de Angola.

Já o treinador do Sagrada Esperança, Roque Sapiri, disse que a eliminação do conjunto não é motivo para desespero, porque ainda resta o Girabola2020-21, onde ambiciona classificar-se entre os três primeiros lugares.

Sobre a derrota, apontou as falhas de marcação e falta de eficácia na finalização como principais causas.

Disse que até a expulsão do médio Victoriano, aos 39 minutos, o seu conjunto dominava o jogo, criou inúmeras oportunidades de golos, mas não marcou.

”Sofremos o golo numa altura em que tínhamos o jogo controlado e na marcação das grandes penalidades não fomos eficientes como a equipa adversária”, lamentou.

Com a vitória, o Kabuscorp do Palanca defronta o Interclube nas meias-finais, no dia 6 de Julho.