Falta de prémio condiciona participação nos Jogos Olímpicos

  • Vela angolana com participação modesta em Tóquio (Arquivo)
Luanda - A Selecção Nacional de vela poderá falhar a participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio, na classe dos 470, por falta de pagamento de prémios.

Segundo o treinador, Manuel Lelo, que falava esta sexta-feira à ANGOP, em Luanda, em causa está o atraso da premiação pelo 3º terceiro lugar conquistado em 2019, no Campeonato Africano decorrido em Argel (Argélia), e da qualificação ao evento de Tóquio, obtida em Janeiro de 2020.

Explicou existirem ainda outros incumprimentos ligados a participações anteriores, mas garantiu que o grupo volta ao ciclo de treinamento caso sejam satisfeitas as duas situações reclamadas.

A selecção nacional, composta pela dupla Paixão Afonso e Matias Motinho, está parada há duas semanas.

Contactado pela ANGOP, o vice-presidente para a Vela da Federação Angolana dos Desportos Náuticos (FADN), Nuno Gomes, confirmou a paralisação dos trabalhos por parte dos atletas e equipa técnica.

O responsável afirmou ter sido informado pelo Ministério da Juventude e Desportos que se espera apenas pela cabimentação da verba por parte do Ministério das Finanças, para o cumprimento desta e de outras obrigações no que tange a pagamentos de prémios nas federações desportivas.

Acrescentou que decorrem negociações com os atletas e equipa técnica, visando evitar qualquer situação que inviabilize a presença da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Angola estará ainda presente na competição nipónica com a selecção sénior feminina de andebol, de judo, de atletismo e de natação. O basquetebol sénior masculino procura a qualificação no torneio pré-olímpico, a disputar-se de 29 deste mês a 4 de Julho, em Kaunas, Lituânia.

Segundo o treinador, Manuel Lelo, que falava esta sexta-feira à ANGOP, em Luanda, em causa está o atraso da premiação pelo 3º terceiro lugar conquistado em 2019, no Campeonato Africano decorrido em Argel (Argélia), e da qualificação ao evento de Tóquio, obtida em Janeiro de 2020.

Explicou existirem ainda outros incumprimentos ligados a participações anteriores, mas garantiu que o grupo volta ao ciclo de treinamento caso sejam satisfeitas as duas situações reclamadas.

A selecção nacional, composta pela dupla Paixão Afonso e Matias Motinho, está parada há duas semanas.

Contactado pela ANGOP, o vice-presidente para a Vela da Federação Angolana dos Desportos Náuticos (FADN), Nuno Gomes, confirmou a paralisação dos trabalhos por parte dos atletas e equipa técnica.

O responsável afirmou ter sido informado pelo Ministério da Juventude e Desportos que se espera apenas pela cabimentação da verba por parte do Ministério das Finanças, para o cumprimento desta e de outras obrigações no que tange a pagamentos de prémios nas federações desportivas.

Acrescentou que decorrem negociações com os atletas e equipa técnica, visando evitar qualquer situação que inviabilize a presença da modalidade nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Angola estará ainda presente na competição nipónica com a selecção sénior feminina de andebol, de judo, de atletismo e de natação. O basquetebol sénior masculino procura a qualificação no torneio pré-olímpico, a disputar-se de 29 deste mês a 4 de Julho, em Kaunas, Lituânia.