"Venceu o andebol" - presidente federativo

  • NOVO PRESIDENTE QUER ANDEBOL UNIDO
Luanda - Num discurso aglutinador, o novo presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND) afirmou neste sábado que, apesar da grande diferença de votos, a vitória é da modalidade.

Falando à imprensa, em Luanda, momentos após a sua eleição pela lista B, com 53 votos a favor, contra 12 de Zeca Venâncio (lista A), José do Amaral Júnior “Maninho” disse esperar pela contribuição de todos, incluindo dos adversários de circunstância.

O antigo praticante reiterou ser o momento de união e de fazer da federação uma estrutura orgânica e funcional.

“Vamos fazer de tudo para não decepcionarmos os que confiaram em nós”, frisou o substituto de Pedro Godinho, no cargo desde 2008.

O ex ponta esquerda e meia distância da selecção nacional prometeu aos associados o reforço da massificação durante o quadriénio 2020/24.

Maninho vai igualmente priorizar o aumento do nível organizativo das competições nacionais, visando conferir maior qualidade aos atletas em todo o país.   

O ex -jogador do 1.° de Agosto e do Petro de Luanda torna-se no décimo presidente a dirigir os destinos da  FAAND, depois de  Francisco de Almeida (1979-1981), Hélder de Moura (1981-1983), Marcelino Lima (1983-1985), Sardinha de Castro (1985-1986).

Completam a lista  Augusto Figueiredo ( 1987-1990), José de Lima  /1990- 1998), Hilário Sousa (1999-2000), Archer Mangueira ( 2001-2008), Pedro Godinho (200-2020) e Agora José do Amaral Júnior "Maninho".

Falando à imprensa, em Luanda, momentos após a sua eleição pela lista B, com 53 votos a favor, contra 12 de Zeca Venâncio (lista A), José do Amaral Júnior “Maninho” disse esperar pela contribuição de todos, incluindo dos adversários de circunstância.

O antigo praticante reiterou ser o momento de união e de fazer da federação uma estrutura orgânica e funcional.

“Vamos fazer de tudo para não decepcionarmos os que confiaram em nós”, frisou o substituto de Pedro Godinho, no cargo desde 2008.

O ex ponta esquerda e meia distância da selecção nacional prometeu aos associados o reforço da massificação durante o quadriénio 2020/24.

Maninho vai igualmente priorizar o aumento do nível organizativo das competições nacionais, visando conferir maior qualidade aos atletas em todo o país.   

O ex -jogador do 1.° de Agosto e do Petro de Luanda torna-se no décimo presidente a dirigir os destinos da  FAAND, depois de  Francisco de Almeida (1979-1981), Hélder de Moura (1981-1983), Marcelino Lima (1983-1985), Sardinha de Castro (1985-1986).

Completam a lista  Augusto Figueiredo ( 1987-1990), José de Lima  /1990- 1998), Hilário Sousa (1999-2000), Archer Mangueira ( 2001-2008), Pedro Godinho (200-2020) e Agora José do Amaral Júnior "Maninho".