Intervenção do PR no Fórum Económico Angola–Turquia

  • Presidente da República, João Lourenço, no Fórum Económico Angola-Turquia
Luanda – Intervenção do Presidente da República, João Lourenço, esta segunda-feira, em Luanda, no Fórum Económico Angola–Turquia.

Sua Excelência Recep Tayyip Erdogan Presidente da República da Turquia; 

 Excelentíssimos Senhores Membros do Governo da República da Turquia e da República de Angola; 

 Excelentíssimo Senhor Nail Olpak, Presidente do DEIK - Conselho de Relações Económicas com o Exterior da Turquia; 

 Distintos Empresários e Investidores Privados da Turquia e de Angola; 

 Ilustres Convidados; 

 Minhas Senhoras e Meus Senhores; 

Em Julho deste ano, no decurso da minha visita oficial à Turquia, realizámos um fórum com estas características, entre empresários angolanos e turcos. 

Naquela altura, tive a oportunidade de referir que Angola pretende fortalecer as suas relações económicas, financeiras e empresariais com a Turquia e estabelecer as bases de uma cooperação estratégica entre os dois países, de modo a que ambas as partes obtenham os maiores benefícios desta cooperação, para o bem dos seus respectivos povos. 

Referi também que Angola pretende atrair investidores da Turquia, que tragam à nossa economia, não só capital financeiro e tecnologia avançada, mas que tragam sobretudo know-how que nos permita diversificar e aumentar com rapidez e eficiência a nossa produção interna de bens e de serviços. 

Com isso aumentarão os níveis de emprego em Angola, melhorarão os rendimentos dos nossos cidadãos e as nossas exportações serão mais diversificadas. 

Devo referir com agrado que, após esta minha visita à Turquia, os dois últimos meses têm sido demonstrativos do interesse que o empresariado turco tem pelo mercado angolano. 

Têm-se intensificado as visitas de importantes grupos empresariais turcos ao nosso país, o que demonstra a confiança e a vontade destes em investir em Angola. 

Tudo faremos para que estas manifestações de interesse se transformem em investimentos concretos e contribuam para o crescimento da economia angolana, para a geração de empregos qualificados para a juventude e para a inserção de Angola nas grandes cadeias do mercado global, através da adopção de tecnologias avançadas, das melhores práticas empresariais e das experiências e capacidades que são reconhecidas aos empresários turcos. 

O Executivo angolano aposta em reformas profundas na economia tendo como fim último a melhoria do ambiente de negócios, que inclui, entre outros aspectos, a estabilização macroeconómica do país, a criação de um quadro legal facilitado para os investidores, a aposta na desburocratização e simplificação dos serviços da administração pública e a facilidade dos investidores fazerem o repatriamento dos seus dividendos em tempo oportuno e sem quaisquer restrições. 

O quadro legal do investimento privado em Angola contempla incentivos que são atractivos e que contribuem para a competitividade das empresas no mercado nacional e internacional. 

Fruto das reformas que temos desenvolvido em Angola, as agências internacionais de rating, e em particular a Moody´s, reviram em alta a notação de risco da dívida soberana de Angola, o que é certamente um factor de credibilidade em relação à nossa economia e um elemento muito importante para aumentar a confiança dos investidores estrangeiros no nosso país. 

Excelências 

Distintos Empresários 

Minhas Senhoras e meus Senhores 

A economia angolana está aberta ao investimento privado, o país possui enormes potencialidades e condições para acolher investimento directo estrangeiro. 

É importante fortalecer as bases da cooperação que se começam a estabelecer entre o sector empresarial turco e angolano, permitindo que não só empresários turcos invistam em Angola como também empresas angolanas possam investir os seus capitais na Turquia, numa cooperação com ganhos para ambas as partes. 

O Executivo angolano tem identificado os sectores prioritários para o investimento, no âmbito do sector privado, e está aberto para que empresas turcas participem no desenvolvimento das infra-estruturas públicas, através de parcerias público-privadas nas diferentes modalidades, em projectos de construção de estradas, pontes, caminhos de ferro, centrais eléctricas e respectivas redes de transportação e outros projectos. 

Na intervenção que fiz no fórum económico Angola-Turquia, em Julho deste ano, na Turquia, tive a oportunidade de referir que Angola tem particular interesse em acolher investimentos de empresas turcas, na área da indústria, de produção de materiais de construção, montagem de automóveis e motorizadas, de produtos electrónicos e electrodomésticos, na indústria têxtil, de vestuário e calçado, na indústria de produção farmacêutica, produção de tractores, alfaias e outros equipamentos e implementos agrícolas, na indústria de produção de fertilizantes, sementes e defensivos para a agricultura. 

Já contamos com investimentos turcos de grande dimensão na exploração do mineiro de ferro e produção do aço. Mas dispomos de outros minérios, como o ouro, o cobre e metais raros por explorar e para os quais também são convidados investidores turcos. 

Temos disponível um pacote de empresas e activos públicos, que estão num processo de privatização no todo ou em parte, incluindo activos do sector petrolífero, da banca e seguros, de grandes fazendas agrícolas e de indústrias importantes, pelo que convidamos investidores e empresários turcos a participarem dos concursos internacionais em curso. 

Contamos ainda convosco, como já referi, nas parcerias público-privadas, nos grandes projectos a realizar na modalidade “Constrói, Opera e Transfere”, em inglês BOT. 

Ao longo deste fórum, a AIPEX terá a oportunidade de apresentar as várias oportunidades de negócios que se abrem no nosso país aos investidores turcos e de outros países interessados. 

Senhor Presidente 

Distintos Empresários 

Minhas Senhoras e meus senhores 

Permita-me que termine agradecendo o gesto de Vossa Excelência o Presidente Recep Tayyip Erdogan, não só pela sua visita a Angola, mas também por se fazer presente neste Fórum económico, acompanhado de uma importante delegação de homens de negócios. 

Está aqui uma manifestação clara e inequívoca de que a vontade política para o fortalecimento das relações de cooperação empresarial e económica entre os dois países é muito forte. Compete agora aos empresários dos dois países tirarem a maior vantagem desta plataforma política e estratégica que está lançada. 

Permitam-me também assinalar o facto de que Angola e a Turquia estão agora mais próximas, através da ligação aérea directa entre Luanda e Istambul, que acaba de ser inaugurada, o que vai certamente permitir o aumento das trocas comerciais entre os dois países e o incremento das viagens de negócios e de turismo entre os nossos cidadãos e empresários. 

Auguramos que o presente evento seja coroado de êxitos e que este segundo fórum económico empresarial permita o estabelecimento de parcerias sólidas entre o empresariado nacional angolano e o turco. 

Angola está aberta ao mundo de negócios e conta com os empresários da Turquia.  

Muito obrigado! 

Sua Excelência Recep Tayyip Erdogan Presidente da República da Turquia; 

 Excelentíssimos Senhores Membros do Governo da República da Turquia e da República de Angola; 

 Excelentíssimo Senhor Nail Olpak, Presidente do DEIK - Conselho de Relações Económicas com o Exterior da Turquia; 

 Distintos Empresários e Investidores Privados da Turquia e de Angola; 

 Ilustres Convidados; 

 Minhas Senhoras e Meus Senhores; 

Em Julho deste ano, no decurso da minha visita oficial à Turquia, realizámos um fórum com estas características, entre empresários angolanos e turcos. 

Naquela altura, tive a oportunidade de referir que Angola pretende fortalecer as suas relações económicas, financeiras e empresariais com a Turquia e estabelecer as bases de uma cooperação estratégica entre os dois países, de modo a que ambas as partes obtenham os maiores benefícios desta cooperação, para o bem dos seus respectivos povos. 

Referi também que Angola pretende atrair investidores da Turquia, que tragam à nossa economia, não só capital financeiro e tecnologia avançada, mas que tragam sobretudo know-how que nos permita diversificar e aumentar com rapidez e eficiência a nossa produção interna de bens e de serviços. 

Com isso aumentarão os níveis de emprego em Angola, melhorarão os rendimentos dos nossos cidadãos e as nossas exportações serão mais diversificadas. 

Devo referir com agrado que, após esta minha visita à Turquia, os dois últimos meses têm sido demonstrativos do interesse que o empresariado turco tem pelo mercado angolano. 

Têm-se intensificado as visitas de importantes grupos empresariais turcos ao nosso país, o que demonstra a confiança e a vontade destes em investir em Angola. 

Tudo faremos para que estas manifestações de interesse se transformem em investimentos concretos e contribuam para o crescimento da economia angolana, para a geração de empregos qualificados para a juventude e para a inserção de Angola nas grandes cadeias do mercado global, através da adopção de tecnologias avançadas, das melhores práticas empresariais e das experiências e capacidades que são reconhecidas aos empresários turcos. 

O Executivo angolano aposta em reformas profundas na economia tendo como fim último a melhoria do ambiente de negócios, que inclui, entre outros aspectos, a estabilização macroeconómica do país, a criação de um quadro legal facilitado para os investidores, a aposta na desburocratização e simplificação dos serviços da administração pública e a facilidade dos investidores fazerem o repatriamento dos seus dividendos em tempo oportuno e sem quaisquer restrições. 

O quadro legal do investimento privado em Angola contempla incentivos que são atractivos e que contribuem para a competitividade das empresas no mercado nacional e internacional. 

Fruto das reformas que temos desenvolvido em Angola, as agências internacionais de rating, e em particular a Moody´s, reviram em alta a notação de risco da dívida soberana de Angola, o que é certamente um factor de credibilidade em relação à nossa economia e um elemento muito importante para aumentar a confiança dos investidores estrangeiros no nosso país. 

Excelências 

Distintos Empresários 

Minhas Senhoras e meus Senhores 

A economia angolana está aberta ao investimento privado, o país possui enormes potencialidades e condições para acolher investimento directo estrangeiro. 

É importante fortalecer as bases da cooperação que se começam a estabelecer entre o sector empresarial turco e angolano, permitindo que não só empresários turcos invistam em Angola como também empresas angolanas possam investir os seus capitais na Turquia, numa cooperação com ganhos para ambas as partes. 

O Executivo angolano tem identificado os sectores prioritários para o investimento, no âmbito do sector privado, e está aberto para que empresas turcas participem no desenvolvimento das infra-estruturas públicas, através de parcerias público-privadas nas diferentes modalidades, em projectos de construção de estradas, pontes, caminhos de ferro, centrais eléctricas e respectivas redes de transportação e outros projectos. 

Na intervenção que fiz no fórum económico Angola-Turquia, em Julho deste ano, na Turquia, tive a oportunidade de referir que Angola tem particular interesse em acolher investimentos de empresas turcas, na área da indústria, de produção de materiais de construção, montagem de automóveis e motorizadas, de produtos electrónicos e electrodomésticos, na indústria têxtil, de vestuário e calçado, na indústria de produção farmacêutica, produção de tractores, alfaias e outros equipamentos e implementos agrícolas, na indústria de produção de fertilizantes, sementes e defensivos para a agricultura. 

Já contamos com investimentos turcos de grande dimensão na exploração do mineiro de ferro e produção do aço. Mas dispomos de outros minérios, como o ouro, o cobre e metais raros por explorar e para os quais também são convidados investidores turcos. 

Temos disponível um pacote de empresas e activos públicos, que estão num processo de privatização no todo ou em parte, incluindo activos do sector petrolífero, da banca e seguros, de grandes fazendas agrícolas e de indústrias importantes, pelo que convidamos investidores e empresários turcos a participarem dos concursos internacionais em curso. 

Contamos ainda convosco, como já referi, nas parcerias público-privadas, nos grandes projectos a realizar na modalidade “Constrói, Opera e Transfere”, em inglês BOT. 

Ao longo deste fórum, a AIPEX terá a oportunidade de apresentar as várias oportunidades de negócios que se abrem no nosso país aos investidores turcos e de outros países interessados. 

Senhor Presidente 

Distintos Empresários 

Minhas Senhoras e meus senhores 

Permita-me que termine agradecendo o gesto de Vossa Excelência o Presidente Recep Tayyip Erdogan, não só pela sua visita a Angola, mas também por se fazer presente neste Fórum económico, acompanhado de uma importante delegação de homens de negócios. 

Está aqui uma manifestação clara e inequívoca de que a vontade política para o fortalecimento das relações de cooperação empresarial e económica entre os dois países é muito forte. Compete agora aos empresários dos dois países tirarem a maior vantagem desta plataforma política e estratégica que está lançada. 

Permitam-me também assinalar o facto de que Angola e a Turquia estão agora mais próximas, através da ligação aérea directa entre Luanda e Istambul, que acaba de ser inaugurada, o que vai certamente permitir o aumento das trocas comerciais entre os dois países e o incremento das viagens de negócios e de turismo entre os nossos cidadãos e empresários. 

Auguramos que o presente evento seja coroado de êxitos e que este segundo fórum económico empresarial permita o estabelecimento de parcerias sólidas entre o empresariado nacional angolano e o turco. 

Angola está aberta ao mundo de negócios e conta com os empresários da Turquia.  

Muito obrigado!