AGT incentiva moradores do Mussungue a pagarem IPU

Dundo – O chefe da repartição fiscal do município de Chitato, adstrita a sétima região da Administração Geral Tributária (AGT), Miguel Fortunato, apelou, segunda-feira, os moradores da Centralidade do Mussungue, a pagarem o Imposto Predial Urbano (IPU), com vista a evitarem acumulação de dívidas e as respectivas multas.

A Centralidade do Mussungue, implantado a sudoeste da Cidade do Dundo, conta com 419 edifícios, cinco mil e quatro apartamentos, 153 espaços comerciais e é composta por apartamentos de tipologia T4 e T5.

Concebido para albergar cerca de 30 mil pessoas, o projecto cuja primeira fase encontra-se subdividida em sete zonas, sendo seis habitacionais e uma de equipamentos sociais, possui um hospital com 95 camas, uma creche com 24 salas e uma escola para mil e trezentos alunos.

Os apartamentos já concluídos, a albergar mais de 15 mil pessoas, representam a primeira fase do projecto que prevê 20 mil fogos, para serem construídos de forma faseada.

O responsável denunciou que os moradores da referida centralidade não cumprem com esta obrigação tributária, importante para o aumento da arrecadação de receitas para o município de Chitato.

Avançou que decorre actualmente, uma campanha de sensibilização, em colaboração com as comissões de moradores da centralidade, com vista a mobilizar os moradores a procederem o pagamento.

Sem precisar o valor, disse que a AGT está aberta a negociação da divida, basta que o morador se desloque as suas instalações para o efeito, alertando que o morador que insistir a não cumprir com esta obrigação, “terá as suas consequências”.

 

A Centralidade do Mussungue, implantado a sudoeste da Cidade do Dundo, conta com 419 edifícios, cinco mil e quatro apartamentos, 153 espaços comerciais e é composta por apartamentos de tipologia T4 e T5.

Concebido para albergar cerca de 30 mil pessoas, o projecto cuja primeira fase encontra-se subdividida em sete zonas, sendo seis habitacionais e uma de equipamentos sociais, possui um hospital com 95 camas, uma creche com 24 salas e uma escola para mil e trezentos alunos.

Os apartamentos já concluídos, a albergar mais de 15 mil pessoas, representam a primeira fase do projecto que prevê 20 mil fogos, para serem construídos de forma faseada.

O responsável denunciou que os moradores da referida centralidade não cumprem com esta obrigação tributária, importante para o aumento da arrecadação de receitas para o município de Chitato.

Avançou que decorre actualmente, uma campanha de sensibilização, em colaboração com as comissões de moradores da centralidade, com vista a mobilizar os moradores a procederem o pagamento.

Sem precisar o valor, disse que a AGT está aberta a negociação da divida, basta que o morador se desloque as suas instalações para o efeito, alertando que o morador que insistir a não cumprir com esta obrigação, “terá as suas consequências”.