Angola e Índia analisam cooperação nos sectores da Indústria e Comércio

  • Ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, e a Embaixadora da Índia em Angola, Pratibha Parkar
Luanda – O ministro do Comércio e Indústria, Victor Fernandes, e a embaixadora da Índia em Angola, Pratibha Parkar, apreciaram, nesta terça-feira, em Luanda, os acordos de parceria nas áreas comercial e industrial.

Durante o encontro revisitaram os protocolos assinados no âmbito dos diamantes, petróleo, agricultura, tecnologia de informação, saúde, indústria alimentar e segurança alimentar.

Na ocasião, o ministro do Comércio e Indústria, Victor Fernandes, considerou o encontro como significativo, sublinhando que ajudará a fortalecer as relações entre Angola e a índia nos dois sectores que dirige.

Explicou que Angola melhorou o seu ambiente de negócios, mormente nos sectores da indústria transformadora e alimentar, na saúde e tecnologia.

Por sua vez, a embaixadora da Índia em Angola, Pratibha Parkar, considerou satisfatória a cooperação entre os dois países, particularmente nos sectores da indústria e do comércio.

Indicou que as trocas comerciais entre os dois Estados, no período 2017-2019, atingiram USD 3 biliões, nas exportações, e USD 4,3 milhões, nas importações, dominadas pelas remessas de petróleo angolano para aquele país.

Conforme os dados avançados, o balanço comercial entre Angola e a Índia é favorável a Angola, sustentando que houve aumento perceptível nos últimos três anos, em relação aos anos anteriores, tendo saído de cerca de USD 4,0 mil milhões para 4,5 mil milhões entre 2017 e 2018, 4,4 mil milhões no período 2018-2019 e 4,0 mil milhões no período 2019-2020.

Neste período (2019-2020), as importações da Índia foram de USD 3,7 mil milhões e as exportações USD 0,3 mil milhões.

Angola importa daquele país, essencialmente, produtos farmacêuticos, máquinas agrícolas, materiais eléctricos, veículos automóveis, entre outros.

Segundo a embaixadora daquele país em Angola, a Índia identificou potenciais em Angola nas áreas da saúde, agricultura, processamento alimentar, lapidação de diamantes, entre outras.

Incentivo ao investimento

O Governo Indiano, por intermédio da Câmara de Comércio, pretende incentivar e encorajar a captação de investimento para a implementação de infra-estrutura, comércio e fabricação, no âmbito da diversificação da economia angolana.

A Índia quer apostar na implementação de infra-estrutura e instalação de fábricas aço, testeis, alimentícias, petrolífera e tecnologia avançada.  

Nesta parceria, existe também a troca de experiências entre os laboratórios nacionais de controlo de qualidade dos dois países, no que diz respeito a pesquisa, controlo de qualidade e actividades comerciais.

A intenção é promover o crescimento do intercâmbio comercial entre as diferentes associações empresariais, realização de feiras, workshops, fóruns empresariais, seminários, formação de capacitação quadros e efemérides.  

As trocas comerciais entre Angola e Índia datam de Outubro de 1986.

Durante o encontro revisitaram os protocolos assinados no âmbito dos diamantes, petróleo, agricultura, tecnologia de informação, saúde, indústria alimentar e segurança alimentar.

Na ocasião, o ministro do Comércio e Indústria, Victor Fernandes, considerou o encontro como significativo, sublinhando que ajudará a fortalecer as relações entre Angola e a índia nos dois sectores que dirige.

Explicou que Angola melhorou o seu ambiente de negócios, mormente nos sectores da indústria transformadora e alimentar, na saúde e tecnologia.

Por sua vez, a embaixadora da Índia em Angola, Pratibha Parkar, considerou satisfatória a cooperação entre os dois países, particularmente nos sectores da indústria e do comércio.

Indicou que as trocas comerciais entre os dois Estados, no período 2017-2019, atingiram USD 3 biliões, nas exportações, e USD 4,3 milhões, nas importações, dominadas pelas remessas de petróleo angolano para aquele país.

Conforme os dados avançados, o balanço comercial entre Angola e a Índia é favorável a Angola, sustentando que houve aumento perceptível nos últimos três anos, em relação aos anos anteriores, tendo saído de cerca de USD 4,0 mil milhões para 4,5 mil milhões entre 2017 e 2018, 4,4 mil milhões no período 2018-2019 e 4,0 mil milhões no período 2019-2020.

Neste período (2019-2020), as importações da Índia foram de USD 3,7 mil milhões e as exportações USD 0,3 mil milhões.

Angola importa daquele país, essencialmente, produtos farmacêuticos, máquinas agrícolas, materiais eléctricos, veículos automóveis, entre outros.

Segundo a embaixadora daquele país em Angola, a Índia identificou potenciais em Angola nas áreas da saúde, agricultura, processamento alimentar, lapidação de diamantes, entre outras.

Incentivo ao investimento

O Governo Indiano, por intermédio da Câmara de Comércio, pretende incentivar e encorajar a captação de investimento para a implementação de infra-estrutura, comércio e fabricação, no âmbito da diversificação da economia angolana.

A Índia quer apostar na implementação de infra-estrutura e instalação de fábricas aço, testeis, alimentícias, petrolífera e tecnologia avançada.  

Nesta parceria, existe também a troca de experiências entre os laboratórios nacionais de controlo de qualidade dos dois países, no que diz respeito a pesquisa, controlo de qualidade e actividades comerciais.

A intenção é promover o crescimento do intercâmbio comercial entre as diferentes associações empresariais, realização de feiras, workshops, fóruns empresariais, seminários, formação de capacitação quadros e efemérides.  

As trocas comerciais entre Angola e Índia datam de Outubro de 1986.