Governo vai rescindir contratos com empresas incumpridoras

  • Governador de Malanje, Norberto dos Santos
Kiwaba Nzoji - O Governo Provincial de Malanje vai rescindir, nos próximos dias, contratos com algumas empreiteiras de obras do PIIM, devido a incapacidade técnica e profissional das mesmas.

A informação foi avançada esta quinta-feira, no município de Kiwaba Nzoje, pelo governador provincial, Norberto dos Santos “Kwata kanawa”, durante uma visita às obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), em curso naquela localidade.

Sem especificar as obras e respectivos empreiteiros, o governante sublinhou haver empresas que se revelaram inaptas para sua execução, pelo que deverão responder em tribunal e devolver ao Estado os 15 por cento referentes a primeira tranche do pagamento dos contratos firmados.

“Estas empresas não têm meios e concorreram em quase todos os municípios”, criticou "Kwata Kanawa”, observando que certos empreiteiros quando concorrem para execução de determinados projectos, não têm real noção das áreas onde serão implementados, sobretudo os ligados a terraplanagem, daí as inúmeras dificuldades para sua execução.

Lançado em Maio de 2020, a província de Malanje conta com 75 projectos do PIIM em curso, cujos níveis de execução física rondam os 31 por cento, tendo já sido disponibilizados mais de 2 mil milhões de Kwanzas até a presente data.

No total, Malanje tem uma carteira de 131 projectos, orçados em 26 mil milhões 718 milhões de Kwanzas.

Das acções inscritas, destacam-se 45 no sector da educação, 25 em vias de comunicação, 19 nas águas, 16 na saúde, 15 direccionados à llimpeza e saneamento, seis ao reforço da capacidade institucional, um na energia e os restantes nas telecomunicações e construção de equipamentos urbanos.

Actualmente, mais de 600 jovens trabalham nas obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios.

   
 
   

A informação foi avançada esta quinta-feira, no município de Kiwaba Nzoje, pelo governador provincial, Norberto dos Santos “Kwata kanawa”, durante uma visita às obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), em curso naquela localidade.

Sem especificar as obras e respectivos empreiteiros, o governante sublinhou haver empresas que se revelaram inaptas para sua execução, pelo que deverão responder em tribunal e devolver ao Estado os 15 por cento referentes a primeira tranche do pagamento dos contratos firmados.

“Estas empresas não têm meios e concorreram em quase todos os municípios”, criticou "Kwata Kanawa”, observando que certos empreiteiros quando concorrem para execução de determinados projectos, não têm real noção das áreas onde serão implementados, sobretudo os ligados a terraplanagem, daí as inúmeras dificuldades para sua execução.

Lançado em Maio de 2020, a província de Malanje conta com 75 projectos do PIIM em curso, cujos níveis de execução física rondam os 31 por cento, tendo já sido disponibilizados mais de 2 mil milhões de Kwanzas até a presente data.

No total, Malanje tem uma carteira de 131 projectos, orçados em 26 mil milhões 718 milhões de Kwanzas.

Das acções inscritas, destacam-se 45 no sector da educação, 25 em vias de comunicação, 19 nas águas, 16 na saúde, 15 direccionados à llimpeza e saneamento, seis ao reforço da capacidade institucional, um na energia e os restantes nas telecomunicações e construção de equipamentos urbanos.

Actualmente, mais de 600 jovens trabalham nas obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios.