Angola sem leilão de diamantes este ano – SODIAM

  • Diamantes de Angola
Dundo - O administrador Executivo da Sociedade de Comercialização de Diamantes (Sodiam), Fernando Amaral, anunciou hoje, terça-feira, a suspensão do leilão de diamantes, por conta da Covid-19.

No  primeiro leilão realizado em Janeiro de 2019, a Sodiam arrecadou 16,7 milhões de dólares norte-americanos como resultado da  venda de sete pedras de diamantes brutos de grande quilate do projecto Lulo, com o peso de 43,25 a 114,94 quilates, em que participaram 31 empresas, no âmbito da implementação da Política de Comercialização de Diamantes, aprovada a 27 de Julho de 2018.

Entre as pedras, destacou-se uma com 46 quilates, denominada “pink” ou pedra rosa.

Em Dezembro do mesmo ano, no segundo leilão, a Sodiam arrecadou 27, 85milhões de dólares norte-americanos. O evento em causa foram leiloadas cinco pedras de diamantes brutos de grande quilate, no qual participaram 29 empresas de cinco países.

Segundo Fernando Amaral, a não realização de leilão no presente ano económico prende-se pelo facto de a indústria mineira estar em desaceleração, afectando os níveis de produção das empresas do sector.

“Não vamos realizar leilões este ano porque as empresas mineiras tiveram muitos problemas do ponto de vista de programação das suas actividades e os leilões estão intrinsecamente ligados aos produtores, sem a devida programação por parte das empresas e tendo em conta o actual cenário epidemiológico o aconselhável é não realizarmos leilões”, realçou.

Mercado

Relativamente à venda de diamantes, o responsável avançou que houve uma queda considerável no mercado, incentivando as empresas mineiras a reajustarem a sua produção, adaptando-se ao actual contexto.

“O mercado dos diamantes continuará retraído. As noticias que nos chegam em termos do agravamento da economia leva-nos a concluir que este ano não será dos melhores, em todo caso para o próximo ano projectamos uma melhoria em termos de venda”, vaticinou.

Avançou que actualmente o diamante está a ser comercializado no mercado nacional a  138 dólares por quilates, representando uma  redução na ordem dos 5.2 por cento, em relação aos períodos anteriores.

A produção de diamantes no país facturou 1,3 mil milhões de dólares norte-americanos, em 2019, com a venda 9,4 milhões de quilates.

A Sodiam é o órgão público responsável por todo o processo de comercialização (compra, venda, exportação) dos diamantes em Angola. Acumula esta função com a tarefa da aquisição pública de minerais estratégicos à luz da Nova Política de Comercialização.

 

No  primeiro leilão realizado em Janeiro de 2019, a Sodiam arrecadou 16,7 milhões de dólares norte-americanos como resultado da  venda de sete pedras de diamantes brutos de grande quilate do projecto Lulo, com o peso de 43,25 a 114,94 quilates, em que participaram 31 empresas, no âmbito da implementação da Política de Comercialização de Diamantes, aprovada a 27 de Julho de 2018.

Entre as pedras, destacou-se uma com 46 quilates, denominada “pink” ou pedra rosa.

Em Dezembro do mesmo ano, no segundo leilão, a Sodiam arrecadou 27, 85milhões de dólares norte-americanos. O evento em causa foram leiloadas cinco pedras de diamantes brutos de grande quilate, no qual participaram 29 empresas de cinco países.

Segundo Fernando Amaral, a não realização de leilão no presente ano económico prende-se pelo facto de a indústria mineira estar em desaceleração, afectando os níveis de produção das empresas do sector.

“Não vamos realizar leilões este ano porque as empresas mineiras tiveram muitos problemas do ponto de vista de programação das suas actividades e os leilões estão intrinsecamente ligados aos produtores, sem a devida programação por parte das empresas e tendo em conta o actual cenário epidemiológico o aconselhável é não realizarmos leilões”, realçou.

Mercado

Relativamente à venda de diamantes, o responsável avançou que houve uma queda considerável no mercado, incentivando as empresas mineiras a reajustarem a sua produção, adaptando-se ao actual contexto.

“O mercado dos diamantes continuará retraído. As noticias que nos chegam em termos do agravamento da economia leva-nos a concluir que este ano não será dos melhores, em todo caso para o próximo ano projectamos uma melhoria em termos de venda”, vaticinou.

Avançou que actualmente o diamante está a ser comercializado no mercado nacional a  138 dólares por quilates, representando uma  redução na ordem dos 5.2 por cento, em relação aos períodos anteriores.

A produção de diamantes no país facturou 1,3 mil milhões de dólares norte-americanos, em 2019, com a venda 9,4 milhões de quilates.

A Sodiam é o órgão público responsável por todo o processo de comercialização (compra, venda, exportação) dos diamantes em Angola. Acumula esta função com a tarefa da aquisição pública de minerais estratégicos à luz da Nova Política de Comercialização.