ANIESA regista mais de 200 infracções em acções inspectivas

  • Interior de um supermercado
Luanda - A Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA) detectou 249 infracções nas províncias Benguela, Huambo, Moxico, Huila e Namibe, durante 14 dias de actuação.

Das infracções detectadas, destacam-se a falta de asseio e higiene, ausência de alvará de exploração, ausência de rotulagem em alguns produtos, datas de validade vencidos, bens mal-acondicionados, com mistura de peixe e carne em câmara frigorífica, entre outros.

Segundo uma nota de balanço, chegada hoje, terça-feira, à Angop, no âmbito da Articulação da Estratégia para o Exercício da Actividade Inspectiva nos Órgãos Locais, no total de 103 empresas inspeccionadas foram passadas 18 notificações.

Em parceria com Agência Geral Tributária (AGT), SIC (Serviço de Investigação Criminal) e Direcção Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado (DPDEI), a ANIESA também detectou, na província do Moxico, concretamente no município do Luau, a venda ilegal de combustível, tendo sido apreendido um contentor com cerca de 200 bidões de combustível.   

O SIC e a Polícia Nacional procederam apreensão do referido combustível e foi instaurado o correspondente processo-crime.

“Procedeu-se igualmente a inutilização de alimentos confeccionados e congelados, sumos, carne de hambúrguer, destruição de 20 caixas peixe, entre outros”, assevera-se no documento.

Na província do Benguela foram apreendidos e inutilizados 4.215 pães e 296 caixas de suturas cirúrgicas que se encontrava à venda, em mais condições.

No Huambo, Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar suspendeu temporariamente, por 24 horas, duas grandes superfícies comerciais, por infracções graves de asseio e higiene.

Com isto, a ANIESA alerta aos operadores económicos de todo país, que estiverem a margem da Lei, que se pautem pelas normas, sob pena de lhe ser instaurados processo administrativo ou criminal, ali onde se justificar tal medida.

Das infracções detectadas, destacam-se a falta de asseio e higiene, ausência de alvará de exploração, ausência de rotulagem em alguns produtos, datas de validade vencidos, bens mal-acondicionados, com mistura de peixe e carne em câmara frigorífica, entre outros.

Segundo uma nota de balanço, chegada hoje, terça-feira, à Angop, no âmbito da Articulação da Estratégia para o Exercício da Actividade Inspectiva nos Órgãos Locais, no total de 103 empresas inspeccionadas foram passadas 18 notificações.

Em parceria com Agência Geral Tributária (AGT), SIC (Serviço de Investigação Criminal) e Direcção Provincial para o Desenvolvimento Económico Integrado (DPDEI), a ANIESA também detectou, na província do Moxico, concretamente no município do Luau, a venda ilegal de combustível, tendo sido apreendido um contentor com cerca de 200 bidões de combustível.   

O SIC e a Polícia Nacional procederam apreensão do referido combustível e foi instaurado o correspondente processo-crime.

“Procedeu-se igualmente a inutilização de alimentos confeccionados e congelados, sumos, carne de hambúrguer, destruição de 20 caixas peixe, entre outros”, assevera-se no documento.

Na província do Benguela foram apreendidos e inutilizados 4.215 pães e 296 caixas de suturas cirúrgicas que se encontrava à venda, em mais condições.

No Huambo, Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar suspendeu temporariamente, por 24 horas, duas grandes superfícies comerciais, por infracções graves de asseio e higiene.

Com isto, a ANIESA alerta aos operadores económicos de todo país, que estiverem a margem da Lei, que se pautem pelas normas, sob pena de lhe ser instaurados processo administrativo ou criminal, ali onde se justificar tal medida.