Baixo consumo limita produção da última turbina de Laúca

  • Malanje: Turbina número 6 da central térmica de Laúca
Luanda - A última turbina da central principal do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca, em serviço comercial desde Dezembro 2020, com uma potência unitária de 334 MW, produz apenas 80% da sua capacidade instalada (270MW), por falta de consumo.

A turbina opera a 100% sem restrições, porém não atinge a capacidade máxima por reduzida demanda, enquanto o país consome aproximadamente 2400 MW, dos 4327 MW disponíveis.

A ANGOP que é necessário um investimento na rede de transporte e distribuição para se atingir a potência máxima disponível, aliado ao facto dos sistemas Leste e Sul não estarem interligados e as centrais de grandes capacidades encontrarem-se na região Norte.

 Entretanto, o país registou, nos últimos anos, o maior nível de produção energética, gerando, só com a barragem de Laúca, quase 50 por cento do total da capacidade eléctrica instalada, estimada em 5 630 megawatts (MW). Para materializar este importante projecto, o Estado angolano desembolsou 4,5 mil milhões de dólares na execução da obra.

O aumento da capacidade de produção de electricidade no quadro da estratégia do Executivo, reflecte-se na criação de condições para melhoria dos indicadores económicos e do nível de vida dos cidadãos.

 O Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca conta com uma Central Principal de seis grupos geradores com turbinas do tipo Francis de eixo vertical, com uma potência unitária de 334 MW, o que totaliza uma potência instalada de 2004 MW e uma Central Ecológica com um grupo Francis de eixo vertical de 67 MW.

A turbina opera a 100% sem restrições, porém não atinge a capacidade máxima por reduzida demanda, enquanto o país consome aproximadamente 2400 MW, dos 4327 MW disponíveis.

A ANGOP que é necessário um investimento na rede de transporte e distribuição para se atingir a potência máxima disponível, aliado ao facto dos sistemas Leste e Sul não estarem interligados e as centrais de grandes capacidades encontrarem-se na região Norte.

 Entretanto, o país registou, nos últimos anos, o maior nível de produção energética, gerando, só com a barragem de Laúca, quase 50 por cento do total da capacidade eléctrica instalada, estimada em 5 630 megawatts (MW). Para materializar este importante projecto, o Estado angolano desembolsou 4,5 mil milhões de dólares na execução da obra.

O aumento da capacidade de produção de electricidade no quadro da estratégia do Executivo, reflecte-se na criação de condições para melhoria dos indicadores económicos e do nível de vida dos cidadãos.

 O Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca conta com uma Central Principal de seis grupos geradores com turbinas do tipo Francis de eixo vertical, com uma potência unitária de 334 MW, o que totaliza uma potência instalada de 2004 MW e uma Central Ecológica com um grupo Francis de eixo vertical de 67 MW.