Central de Malembo vai receber 26 milhões de pés cúbicos de gás

  • Transformadores de energia eléctrica
Cabinda - A Agência Nacional de Petróleos Gás e Bio-combustível decidiu na segunda-feira, em Cabinda, aumentar de 8 milhões para 26 milhões de pés cúbicos de gás dia para assegurar a 100 por cento o funcionamento das turbinas a gás da Central Térmica de Malembo.

A decissão, tomada em parceria com a operadora petrolífera Chevron e suas Associadas do Bloco-0, anunciada em Cabinda, durante o encontro mantido entre o secretário do Estado para Petróleo e Gás, José Alexandre Barroso, com o governador de Cabinda, Marcos Nhunga, e responsáveis ligados ao sector de energia.

José Alexandre Barroso esclareceu que o fornecimento de 8 milhões de pés cúbicos/dia vai até Setembro de 2022, período que se prevê o aumento para 26 milhões, altura em que as duas (2) turbinas do sistema dual (gás e gasóleo) passarão em definitivo a trabalhar somente com gás.

Referiu também que o fornecimento de combustível gasóleo, disponibilizado pela Sonangol para a Central Térmica de Malembo e no Terminal Oceânico de Cabinda (TOC), teve um aumento, que não precisou, mas deve-se a disponibilidade de mais um navio tanque que faz cinco frequências mensais para a província.

Sobre o fornecimento de gás de cozinha foi apresentado um programa que visa a melhoria substancial, tanto das quantidades como da qualidade do fornecimento a unidade de gás e energia renováveis da Sonangol, com a colocação de mais duas mil botijas de gás no mercado.

Durante a estada de algumas horas na província, o secretário do Estado para Petróleo e Gás visitou o local onde está a ser erguida a futura Refinaria de Cabinda, cuja as obras da primeira fase atingiram já os  80 por cento.

A decissão, tomada em parceria com a operadora petrolífera Chevron e suas Associadas do Bloco-0, anunciada em Cabinda, durante o encontro mantido entre o secretário do Estado para Petróleo e Gás, José Alexandre Barroso, com o governador de Cabinda, Marcos Nhunga, e responsáveis ligados ao sector de energia.

José Alexandre Barroso esclareceu que o fornecimento de 8 milhões de pés cúbicos/dia vai até Setembro de 2022, período que se prevê o aumento para 26 milhões, altura em que as duas (2) turbinas do sistema dual (gás e gasóleo) passarão em definitivo a trabalhar somente com gás.

Referiu também que o fornecimento de combustível gasóleo, disponibilizado pela Sonangol para a Central Térmica de Malembo e no Terminal Oceânico de Cabinda (TOC), teve um aumento, que não precisou, mas deve-se a disponibilidade de mais um navio tanque que faz cinco frequências mensais para a província.

Sobre o fornecimento de gás de cozinha foi apresentado um programa que visa a melhoria substancial, tanto das quantidades como da qualidade do fornecimento a unidade de gás e energia renováveis da Sonangol, com a colocação de mais duas mil botijas de gás no mercado.

Durante a estada de algumas horas na província, o secretário do Estado para Petróleo e Gás visitou o local onde está a ser erguida a futura Refinaria de Cabinda, cuja as obras da primeira fase atingiram já os  80 por cento.