Cabinda exporta 20 toneladas/dia de banana para o Congo

  • Banana pão exportada de Cabinda para o Congo
Cabinda – Cerca de 20 toneladas de banana pão, cultivadas na província nortenha de Cabinda, são exportadas, diariamente, para República do Congo, informou fonte da I Região Tributária.

Com o aumento da exportação para o Congo, os agricultores e camponeses locais têm aumentado os seus níveis de produção.

A banana pão e algumas frutas são os principais produtos que circulam, com maior frequência, na fronteira terrestre de Massabi (Cabinda) com a localidade de Ponta-Negra (República do Congo).

De acordo com o director regional da Primeira Região (províncias de Cabinda e Zaire) da Administração Geral Tributária (AGT), Ricardo Aguiar, que não avançou o valor arrecadado, nos últimos dois meses.

Os serviços aduaneiros cobram 0,5 por cento de emolumentos gerais aduaneiros, sobre o valor global da referida mercadoria, com fundamento no artigo 90º e seguintes da Pauta Aduaneira, aprovada pelo Decreto Legislativo Presidencial 10/19, de 29 de Novembro.

O responsável valorizou a produção e a qualidade da banana nacional, salientando que o movimento que se assiste na fronteira demonstra a atracção por este produto nacional, no mercado congolês.

Defendeu a necessidade de criação de condições para a transformação e aproveitamento dos derivados da banana que poderiam, também, servir para exportação, no quadro das estratégias do Executivo angolano.

O município de Cacongo produz 80 por cento do produto, enquanto os restantes 20 por cento são provenientes dos de Buco-Zau e Belize.

Com o aumento da exportação para o Congo, os agricultores e camponeses locais têm aumentado os seus níveis de produção.

A banana pão e algumas frutas são os principais produtos que circulam, com maior frequência, na fronteira terrestre de Massabi (Cabinda) com a localidade de Ponta-Negra (República do Congo).

De acordo com o director regional da Primeira Região (províncias de Cabinda e Zaire) da Administração Geral Tributária (AGT), Ricardo Aguiar, que não avançou o valor arrecadado, nos últimos dois meses.

Os serviços aduaneiros cobram 0,5 por cento de emolumentos gerais aduaneiros, sobre o valor global da referida mercadoria, com fundamento no artigo 90º e seguintes da Pauta Aduaneira, aprovada pelo Decreto Legislativo Presidencial 10/19, de 29 de Novembro.

O responsável valorizou a produção e a qualidade da banana nacional, salientando que o movimento que se assiste na fronteira demonstra a atracção por este produto nacional, no mercado congolês.

Defendeu a necessidade de criação de condições para a transformação e aproveitamento dos derivados da banana que poderiam, também, servir para exportação, no quadro das estratégias do Executivo angolano.

O município de Cacongo produz 80 por cento do produto, enquanto os restantes 20 por cento são provenientes dos de Buco-Zau e Belize.